Coronavírus: em vilarejo chinês, há prazo de 5 dias para moradores se desfazerem de pets

Mesmo ainda sem indícios que os animais sejam afetados pelo vírus, uma onda de extermínio de pets atinge a China

O surto viral que surpreendeu o mundo nos últimos dias, a epidemia Coronavírus, tem trazido grandes riscos para a saúde das pessoas, mas também dos animais.

Na China, a recomendação é de que os moradores se livrem dos seus bichos de estimação. Divulgada no dia 31/01, a informação dada pelo veículo de comunicação Daily Mail, diz que a indicação das autoridades é sacrificar os animais.

Mesmo a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmando que não há evidências até o momento que o vírus possa afetar cães e gatos, uma onda de extermínio dos animais está acontecendo no país.

Em um vilarejo de Hebei, que possui 74,7 milhões de moradores, há prazo para os donos 'se livrarem' dos bichinhos em até cinco dias. Caso contrário, as autoridades 'cuidariam' deles.

Já na cidade que originou o vírus, Wuhan, os donos foram proibidos de deixarem seus animais saírem de casa, se os governantes encontrarem eles na rua, ameaçaram capturar, matar e enterrá-los. Em outras províncias, os moradores foram recomendados a não alimentarem animais de rua, para "controlar e prevenir a epidemia".

Coronavírus: Saiba os principais cuidados que se deve ter com o vírus espalhado a nível mundial

Responsável por atacar o sistema respiratório, ter infectado mais de 15 mil pessoas, sem número real da precisão de mortos, o Coronavírus tem chamado a atenção de todo o mundo, inclusive no Brasil, com 16 casos de suspeita. Para evitar a propagação, o infectologista Leandro Machado alerta sobre riscos e cuidados com a doença.

Apesar de ainda não haver confirmação sobre a origem da doença, há a especulação que o vírus se propagou por meio do consumo da sopa de morcego.

Os sintomas incluem pneumonia, que pode evoluir para óbito. Embora a China tenha construído um hospital específico para tratamento da doença em dez dias, ainda não existe vacina, nem tratamento específico para combate da doença.

O especialista recomenda portanto, que se alguém passou por alguma região que há casos confirmados, deve dar atenção se apresentar sintomas similares de resfriados, tosse, dor no corpo e dificuldades de respirar, deve procurar atendimento médico imediatamente.

Leandro explica ainda, que a doença é transmitida pelo ar, por meio de gotículas, por isso a dificuldade de controle sobre a propagação do vírus, já que, muitas vezes a infecção é assintomática. Todo o cuidado é pouco, fique atento aos sintomas!

Ana Caroline Haubert

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo.
Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários