Jovens denunciam morte de cães em 'Abrigo do Terror' em Curionópolis (PA)

As imagens mostram um cão de pequeno porte deitado, com a língua para fora e respirando com dificuldade. “Pra que a prefeitura tá pegando, recolhendo os bichinhos da rua, para estar morrendo à míngua desse jeito aqui?”, Érica.

Na sequência, Nilhya aponta as vasilhas vazias, sem comida e sem água. As duas jovens conseguiram filmar os compartimentos do abrigo com outros cães, onde há fezes e urina espalhadas. As denunciantes afirmam não terem localizado água e nem ração para os animais, claramente em situação de maus tratos. “Tem cachorros saudáveis misturados a cachorros doentes”, relatam.

Em outro vídeo, o cachorro que aparece passando mal nas primeiras imagens está recebendo atendimento em uma clínica veterinária em Parauapebas, para onde foi levado ao ser resgatado pelas jovens que denunciam a deprimente situação. O animal, diagnosticado com estágio avançado de cinomose, precisou ser sacrificado.

O abrigo é localizado na zona rural de Curionópolis, talvez assim dificultando a ação de fiscalização dos munícipes acerca do que acontece no local. A situação de horror flagrada pelas defensoras dos animais aconteceu por acaso.

Érica conta que foi com Nilhya ao abrigo para saber se no local faziam teste rápido para diagnóstico de Leishmaniose, porque tem uma cadela que vive em posto de combustíveis e que está com a pata quebrada e com ferimentos, característico da doença. “Quando chegamos aqui [abrigo], não tinha ninguém e vimos o horror, como os animais estavam sendo tratados”, descreve a defensora dos animais.

Ela conta que a cena era de cortar o coração. Animais desnutridos, doentes e alguns amarrados no sol escaldante, sem água e comida. O ambiente estava sujos, com muitas fezes e moscas.

“Era um horror. Os animais sem água, comida e vivendo em meio as fezes. Vimos cachorros que não conseguiam nem ficar de pé, porque não tinham mais força devido a fome e a sede. Alguns estavam amarrados com cordas no sol. Uma cena de filme de terror”, definiu Érica.

Ela relata que as telas colocadas para evitar que insetos entrassem nos dois ambientes fechados do abrigo estavam rasgadas. Foi através das aberturas que conseguiram fazer as imagens dos animais presos, em situação degradante.

“Nós fizemos as imagens, resgatamos dois cachorros que estavam do lado de fora, como a cachorrinha que aparece no vídeo. Depois voltamos, com ração e colocamos para os animais, assim como demos água a eles".

“Nossa bandeira é os animais e vamos continuar defendendo essa causa. Se flagramos maus tratos, vamos denunciar”, avisa Nilhya.

NOTA DE REPÚDIO DA APAMA

“A Associação dos Amigos e Protetores dos Animais e do Meio Ambiente-APAMA, vem manifestar perante a população de Parauapebas-PA e de Curionópolis-PA, REPÚDIO a situação degradante e totalmente insalubre, em que foram encontrados, diversos cães, em um local denominado “abrigo municipal”.

Circulam pelas redes sociais, vídeos que foram gravados nesse local, apelidado de “abrigo do terror”, onde mostram animais sendo privados, de água e comida, animais muito magros, feridos, desidratados e alguns visivelmente doentes, um deles já estava agonizando, prestes a morrer, conforme relatado, por pessoas, que realizaram o flagrante.

Como visto no vídeo, animais grandes com pequenos, filhotes misturados com animais doentes.

Muitas fezes, urina pelo chão, mostrando claramente situação de maus-tratos desses animais. E inclusive, uma fogueira, com restos mortais de animais, levando a entender, que foram descartados ali mesmo e após, foram queimados.

A infeliz iniciativa do município de Curionópolis, atenta contra princípios da transparência, moralidade e eficiência da gestão, incorrendo em prevaricação e crime ambiental. A sociedade precisa de uma resposta célere em relação a esse acontecimento.

Para defender os animais, no âmbito federal existe a Lei Federal dos Crimes Ambientais, Nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998. Seu artigo 32 cita como crime: praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos. Comina uma pena de 3 meses a 1 ano de prisão e multa, aumentada de 1/6 a 1/3 se ocorrer a morte do animal.

O sofrimento dos animais importa e deve ser respeitado. Não se cale diante da crueldade contra seres indefesos. Animais são seres conscientes, ou seja, são capazes, entre outras coisas, de sofrer e sentir dor. Se você sabe de alguma situação de maus tratos ou desconfia de envenenamento de animais, DENUNCIE.

Estaremos de olho e esperamos que seja feita JUSTIÇA para esse caso”.

Compartilhe o post com seus amigos!

Fonte: Correio de Carajás

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários