Para proteger filhotes, cadela dá à luz em buraco e faz 'maratona' para buscar comida

Uma cachorrinha que vive nas ruas de Ariranha (SP) comoveu os moradores do pequeno município de 8 mil habitantes.

Grávida, ela deu à luz em um buraco. Querendo manter os seus filhotes em segredo, ela fazia uma verdadeira maratona para alimentá-lo todos os dias.

Após algumas semanas, o segredo foi descoberto por um comerciante que a alimentava. Os cãezinhos foram resgatados e adotados.

O seu Teodoro chama a cadela de ‘Menina’. Ela aparecia há um mês, todos os dias, na mercearia onde ele trabalha.

Após algumas visitas, Menina conquistou o carinho de todos os funcionários. “Ela ficava com a gente, brincava bastante, ela se acostumou com a nossa presença porque a gente cuidava dela, é muito carinhosa”, afirma.

Quando chegava, a cachorrinha aparentava sempre estar faminta e cansada. Seu Teodoro, que é o dono do mercado, passou a alimentá-la com carne cerca de 3 vezes ao dia.

“Ela ficava louca com tanta comida, comia muito, vinha umas quatro vezes por dia aqui. Dava impressão que estava com muita fome”, diz.

Eventualmente, seu Teodoro começou a desconfiar do comportamento da cadela. Depois de comer, ela enchia a boca de carne e ia embora. “Ela enchia a boca e ia embora levando a carne. Foi quando eu comecei a desconfiar de algo errado e fui sondar o que acontecia”, afirma João.

Certo dia, curioso com o que Menina possivelmente estava escondendo, ele decidiu segui-la.

Os dois atravessaram a cidade e cruzaram uma rodovia, em um trajeto que levou meia hora.

De acordo com o comerciante, a cachorra parecia ansiosa, como pressa de chegar ao local. A caminhada de quase dois quilômetros o levou a descobrir porque todos os dias a vira-lata saia da mercearia com a boca cheia de carne. No local, estavam os filhotes, que ela alimentava com a carne que conseguia.

No meio de um barranco de quatro meses que mais parecia uma fossa, lá estava a ninhada, incapaz de sair do local.

Para chegar até os filhotes, seu Teodoro precisou chamar o Corpo de Bombeiros. “O resgate foi complicado. Os bombeiros desceram o barranco e com medo, os filhotes se calaram. Sem barulho, foi difícil encontrá-los. Só quando eles começaram a chorar conseguimos localizá-los”, diz Marta Félix, protetora de animais e que acompanhou o resgate.

Vice-presidente de uma ONG protetora de animais, Roseli Gutierrez já conhecia a história da cadela. “Essa cachorrinha apareceu no centro da cidade prestes a dar à luz, mas antes de a gente conseguir fazer alguma coisa, ela sumiu”, afirma Roseli.

Comovida, Roseli não pensou duas vezes e levou “Menina” e os filhotes para casa dela. No novo lar, bem mais confortável que o antigo, eles recebem água e comida à vontade, uma recompensa pequena perto do exemplo tão verdadeiro de amor e generosidade.

“Essa é uma história que teve um final feliz, mas não é isso que acontece com a maioria dos animais abandonados, que morrem queimados nos canaviais ou atropelados”, afirma.

Compartilhe o post com seus amigos!

Fonte: >G1

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários