Cão que invadiu casa em silêncio às 4 horas da manhã é adotado por casal

Eram 4 horas da manhã de sábado quando a esposa de Jack Jokinen o sacudiu da cama. Tendo um bebê de um mês, ele estava acostumado a acordar de manhã cedo, mas logo percebeu que não era a mesma emergência de sempre.

“Eu estava dormindo e minha esposa de repente me acordou e disse: ‘O bebê está bem … mas há um cachorrinho em nossa casa'”, explicou Jack. “Obviamente, fiquei muito confuso.”

O homem desceu as escadas e se deparou com o que parecia ser um labrador em sua sala de estar. Com todas as portas e janelas fechadas devido a tempestade do lado de fora, ele não conseguia descobrir como o cachorro conseguiu entrar.

“A primeira coisa que pensei era: ‘Tem que haver alguém em nossa casa'”, disse Jack. “Então, fiz uma checagem de segurança, certificando-me de que não havia ninguém escondido nos armários ou algo assim. E quando termino, penso: ‘Como isso aconteceu? Um filhote de cachorro mágico? ”

Após checar a câmera de segurança o casal conseguiu esclarecer de onde vinha o animal. Acontece que quando Jack retornou do passeio com George, seu cãozinho de dois anos, ele fechou a porta da frente, mas esqueceu de trancar, permitindo que o vento forte da madrugada abra ela.

“Então, às 03:16, na câmera, podemos ver a cachorra, que nós a chamamos de Suzy, descendo a rua e parando em frente à nossa casa”, comentou Jack. “Ela estava com muito frio na chuva, e hesitou um pouco até entrar na casa.”

Cerca de meia hora depois, um transeunte passou pela casa e notou a porta aberta também. Ele verificou se estava tudo bem antes de fechar a porta. Se não fosse por isso, Suzy talvez nunca tivesse passado a noite ali: “Ele não sabia que havia um cão na casa que não era nosso”.

Jack e sua esposa secaram a cadela e a fizeram se sentir confortável. No dia seguinte, eles chamaram de controle de animais, mas logo perceberam que entregá-la não era a melhor opção para ela: “Ela estava magra, com carrapatos por todo o lado, andando apenas com três pernas e sem coleira”, explicou o homem. “Pensamos: ‘Se abandonarmos essa cachorrinha, quem sabe o que vai acontecer?'”.

Então, em vez disso, eles trouxeram Suzy ao veterinário, onde descobriram uma infecção na pata e ficaram chocados ao saber que ela tinha 9 anos de idade.

“Decidimos que, de todas as coisas ruins que poderiam acontecer, ao deixar a porta aberta no meio do inverno de uma grande cidade, acabar adotando uma cachorrinha de rua é a melhor delas”, disse Jack.

Após ter twittado uma foto contando a história de Suzy no twitter, o post se tornou viral. Em menos de dois dias, eles receberam 15.000 dólares em doações para ajudar a pagar as contas médicas da cadelinha.

Além disso eles também, através do poder das mídias sociais, encontraram o cara que gentilmente fechou a porta naquela noite.

Agora, Suzy está segura, e sua nova família está ajudando-a a ganhar peso. Pela primeira vez em muito tempo, ela tem um lar de verdade.

“Somos capazes de fazer tudo isso em grande parte graças à generosidade da internet”, concluiu Jack. “De certa forma, esta não é nossa cachorrinha, é a cachorrinha da internet”.

Compartilhe o post com seus amigos!

Fonte: The Dodo

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários

Mais em Notícias