Cão que vivia em lixão e comia restos de comida é adotado nos EUA: 'Hora de ser feliz'

É provável que Alex tenha nascido nas ruas. Considerado um cão de meia-idade, em algum momento de sua vida ele migrou para um depósito de lixo, onde dormia e se alimentava da maneira que podia.

O contato constante com o lixo do depósito infectou o cão com sarna sarcóptica, doença que causa coceira intensa e afeta dramaticamente a qualidade de vida do cachorro que a tem, podendo conduzir a infecções bacterianas e a sérios problemas de saúde se não for tratada.

Além disso, a dieta alimentar pobre do cachorro o enfraqueceu bastante ao longo dos anos.

Ao tomar ciência das péssimas condições de Alex, os voluntários da ONG de resgate animal Sidewalk Specials, nos Estados Unidos, retirou-o do lixão e levaram-no para um abrigo de cães.

Demonstrando apreço àquilo que chamava de lar, o cãozinho chorou e resistiu a todo custo o resgate.

Uma vez no abrigo, Alex teve acesso a um tratamento veterinário completo, que eliminou a sarna que afligia seu corpo.

Além disso, uma dieta alimentar adequada foi mais do que suficiente para ele recuperar o peso e deixar para trás seu estado de fadiga e fraqueza crônicos.

Seis meses depois, Alex parece um cão completamente diferente. Dá uma olhada:

O cachorrinho foi adotado por uma família amorosa que o mima a todo tempo - bem do jeito que ele merece!

Veja mais imagens do cãozinho no vídeo abaixo:

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários