O verdadeiro significado de amar

Eu cheguei como uma surpresa. Acho que foi uma surpresa boa pela gritaria e alegria que eu vivi naquele momento. Foi um dia mais do que especial.

Eu era tão pequenino e indefeso. Estava assustado e bastante desconfiado mas, no momento em que vi vocês, eu sabia que tinha encontrado a minha família. Família essa que era um tanto diferente de mim: Por que não tinham pelos como eu? Por que tão grandes? Como eu faço para falar essa língua estranha em que eles se comunicam?Eram tantas dúvidas e eu era apenas um filhote, mas eu estava pronto para descobrir o mundo em minha volta.

Eu cheguei como uma surpresa boa

AS DESCOBERTAS

Aos poucos fui descobrindo minhas patinhas, eu podia correr e pular com elas. Estranhei minha imagem no espelho algumas vezes, não entendia porque aquele outro cachorrinho tanto me imitava. Logo, descobri também que eu podia produzir um som agudo para chamar atenção dos meus “pais”, eu não precisava falar a língua deles. Eles me entendiam! Às vezes eles ficavam bravos comigo e pedia para eu…como os humanos falam? Ah, parar de latir! Mas meu instinto é maior que eu e eu preciso proteger eles dos inimigos gatos e passarinhos que estão prontos para invadir a casa a qualquer momento.

Com o tempo eu fui crescendo (apesar de continuar pequeno), e a cada dia que passou eu descobri coisas novas como nadar, esconder ossos e pegar brinquedos para que meus pais brincassem comigo. E não é que sempre dá certo? Às vezes eu levo alguns apertões; antes eu chorava mas hoje em dia estou acostumado. Acho que me acham fofinho. Descobri também que tomar banho pode ser divertido, e que quando estou cheiroso a mamãe até deixa eu dormir na cama com ela.

UM AMOR QUE NÃO SE MEDE

Mas um dos aprendizados mais importantes, na minha opinião, é que existe amor independente da espécie. Conforme eu ia convivendo com meus humanos eu descobria, cada vez mais, o amor que eu sentia por eles e, para que eles saberem disso – já que eu não falo a língua deles né – eu demonstro de todas as formas que eu consigo a minha gratidão de ter eles na minha vida. Demonstro com lambidas no rosto mesmo. Demonstro esperando eles chegarem todo dia na porta de casa, pronto para correr pela casa inteira e festejar mais aquele momento juntos. Demonstro ficando de barriga para cima, pedindo carinho e olhando para eles com meus olhinhos de jabuticaba tentando compreender o que estão falando. E principalmente, demonstro quando um deles não está bem: eu faço questão de ficar ao lado da minha mamãe quando ela está triste ou do meu papai quando está doente. Eu entendo o quanto é importante para eles eu estar lá, mesmo que não falando nada. Eu simplesmente estou lá em todos os momentos.

Quando quero demonstrar carinho, dou lambidas no meu humano

E eles estão sempre cuidando de mim também, me dando todo o amor e carinho que eu preciso para crescer forte e saudável. Às vezes eles fazem umas coisas que eu não gosto muito, como me levar no tio veterinário para tomar vacina, ou me dar carne com remédio no meio para eu tomar. Eu fico bravo e faço birra, mas logo entendo que é para meu bem e abano o meu rabinho para eles de novo com toda alegria, como se nada tivesse acontecido. Sabe, eu acho que amar também é perdoar. Eu perdoo meus humanos quando viajam, quando me deixam sozinho ou quando me chateiam, pois sei que eu preciso dar para eles todo o amor que existe dentro desse meu coraçãozinho.

Adoro ser mimado e receber bastante carinho

E todo meu carinho mostra minha lealdade e assim eu quero ficar: para sempre cuidando, sendo o melhor amigo e amando a minha família de humanos. Os amando incondicionalmente independente das circunstancias, até o dia em que meu latido ficar rouco, que minhas patinhas ficarem fracas e eu não conseguir mais os proteger dos passarinhos.

Eu estarei presente em todos os momentos da minha vida
Eu juro lealdade aos meus humanos, e sei que eles juram lealdade ao cãozinho deles também.

E para vocês que ainda não têm um bichinho para amar e estão com vontade de acrescentar mais um membro a família, lembrem-se que muitos dos meus amiguinhos ainda estão aguardando para ter um lar! No site da ONG “Procure 1 Amigo” você pode escolher um cachorrinho ou um gatinho online pela fotinho e as descrições dele (a).

Com certeza você receberá muito amor e carinho!

Juliana Nicolini

Formada em jornalismo, 22 anos de idade. Moro em Maringá, Paraná. Amo os animais, viajar e conhecer novas culturas.

Comentários

Mais em Aqueça o coração