Este cãozinho não pode comer sob quatro patas, então sua família criou uma cadeira especial

Os cães são os melhores amigos do homem - ou pelo menos, para uma grande parte das pessoas que possuem um animal de estimação em casa.

Lá estão eles todos os dias para nos animar após tanto estresse no trabalho - presentes para nos fazer rir com coisas bobas e, obviamente, presentes também sempre que surge um lanchinho para ser devorado.

Os cachorros permanecem, ao lado dos gatos, os animais mais populares da internet. Há alguns meses viralizou nas redes sociais uma imagem de uma cachorra entrando no que parece ser um banco improvisado, onde ela, de pé, recebe uma tigela de comida.

Na legenda da imagem, está escrito: “esta cachorra tem um problema digestivo, então sua família fez uma cadeira para ela poder comer”.

A cachorrinha precisa utilizar uma cadeira especial por conta de um raro distúrbio do estômago canino conhecido como “megaesôfago”.

Daisy é o amado animal de estimação do casal Grace e Doug Jones.

Alguns anos atrás, ela foi diagnosticada com uma doença auto-imune chamada miastenia gravis.

Tal enfermidade causa vários graus de fraqueza muscular e esquelética. O veterinário acredita que essa doença ocorra devido ao chamado ‘megaesôfago’ de Daisy, um distúrbio que causa um esôfago aumentado, maior do que o normal, o que dificulta a ingestão de alimentos e de água, pois o esôfago se esforça para empurrar a comida e os líquidos para o estômago.

De modo a aliviar a pressão e a dor de Daisy, seu veterinário recomendou a utilização de um assento especial chamado Bailey Chair (Cadeira Bailey) para ajudar Daisy a se alimentar corretamente.

Seus pais construíram a cadeira sozinhos, utilizando recursos próprios. Após vários testes e correções, deixaram-na o mais confortável possível para a cachorrinha, uma vez que ela precisaria utilizá-la em todas as suas refeições durante o dia.

Daisy adorou a cadeira e rapidamente aprendeu a se assentar nela, motivada pela comida. Ela chegava a abaixar por conta própria a bandejinha com suas patas.

Todos os dias durante as refeições ela pulava na cadeira e se ajeitava sozinha. Daisy não só aprendeu a conviver com o distúrbio como também parecia ter gostado da cadeira.

Infelizmente, a tutora de Daisy, Grace, veio à público recentemente para comunicar o falecimento de Daisy.

“Demorei algumas semanas para poder escrever isso. Minha linda margarida faleceu. Estamos com o coração partido. Somos gratos por termos tido 16 meses a mais com ela após o diagnóstico e estamos gratos pelas sugestões e apoio que recebemos nas redes sociais. Doamos a cadeira para o veterinário dela, que a utilizará com um filhote.”

Centenas de milhares de cães possuem uma condição semelhante à de Daisy e necessitam da Cadeira Bailey para sobreviver. Veja um vídeo mostrando como um filhote utiliza o equipamento:

Compartilhe o post com seus amigos!

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários