Cachorrinho pequenino sem qualquer pelo aparece em abrigo implorando por amor

Assim que viu a foto de uma cachorrinha oferecida para adoção numa rede social, a estudante norte-americana Amanda Harris correu para o abrigo de cães Atlanta Humane Society para buscá-la.

Pippa estava abrigada na ONG fazia poucos dias com a mãe, o pai e o irmão – mas era visivelmente a mais triste de todos ali. Ela estava completamente sem pelos, dolorida e coberta de crostas. Toda a pequena família de cães tinha sarna, mas ela estava na pior condição.

O corpo de Pippa estava muito fragilizado – mas, carente, tudo o que ela queria fazer era abraçar alguém.

Amanda então levou o filhote para casa e, por semanas, aplicou-lhe medicação e deu-lhe a alimentação recomendada por várias semanas até ela se recuperar completamente.

Sua dona ficou surpresa ao conhecer a personalidade forte e carismática da pequena após ela ter se curado.

“Ela adora brincar de esconde-esconde em cobertores e abraçar todo mundo que vê pela casa”, disse Amanda ao portal The Dodo. “Houve momentos em que eu a espiava e me perguntava aonde ela ia, apenas para encontrá-la confortavelmente enrolada nos meus cobertores. Ela é muito adorável.”

Inicialmente dolorida e comichosa, a pele de Pippa foi cicatrizando com o passar das semanas e a aplicação de remédios. O cuidado amoroso e resiliente de Amanda também foi fundamental nesse processo. Assim, a pele vermelha irritada da cachorrinha foi dando espaço para o crescimento de pelos novos e saudáveis.

“Seus cuidados incluíam banhos medicamentosos todas as semanas, remédios específicos para a pele e nutrição adequada”, disse Amanda. “Uma vez recebendo os cuidados adequados, sua pele cicatrizou notavelmente rápido.”

E quando se curou, a incrível personalidade de Pippa começou a brilhar ainda mais. Como muitos chihuahuas, ela provou ter um coração de leão apesar de sua pequena estatura.

Sua mãe tem dois outros cães, o maior deles um pit bull de 36 quilos. Mas Pippa não pareceu se importar nem um pouco que ela é a menor de todos.

“Ela adora persegui-los numa brincadeira que mais parece uma guerra!”, disse Amanda.

Pippa também se tornou bastante popular entre os seguidores de sua mãe nas redes sociais.

Quando recuperada, ela foi transferida para a casa de Terri Dickson, amigo de Amanda, onde foi adotada em definitivo no início deste mês.

“Quando eu vi as fotos dela, eu tive que ir vê-la”, disse Terri. “Uma vez que ela estava em meus braços, tudo estava em paz para mim. A melhor decisão que tomei em muito tempo. Ela é incrível.”

Pippa foi para casa com a nova família poucos dias depois e está se adaptando bem. Felizmente, ela já encontrou um companheiro de brincadeira: um outro cão adotado para se divertir e conviver junto.

“Ela ama sua família e nós a amamos!”, concluiu Terri.

Compartilhe o post com seus amigos!

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários