Cão visto sozinho e com medo em estrada é salvo por pai e filha que viajavam de moto

O vira-lata que foi abandonado em um trecho do Rastro da Serpente encontrou um novo lar depois de 30 minutos

Por
em Notícias

Há quem diga que tudo acontece no lugar certo e na hora certa. Coincidência ou não, foi assim que um cachorrinho vira-lata foi resgatado de um destino cruel.

Nathália Godoy e seu pai João estavam andando de moto em um percurso conhecido por Rastro da Serpente, entre Capão Bonito (São Paulo) e Curitiba (Paraná), no dia 30 de outubro.

Entretanto, em determinado trecho depararam-se com um cão abandonado e muito assustado.

Em entrevista exclusiva ao site Amo Meu Pet, Nathália disse que quando viu o pobre animalzinho na beira da estrada, comentou sobre ele com seu pai.

No entanto, João achou que o cachorrinho poderia ser de alguém.

“Depois de uns dois quilômetros falei para meu pai voltar lá. Ele me falou: ‘Nathália, aonde que você vai levar esse cachorro?’, disse que não interessava, colocaria ele em cima da moto”, contou Nathália.

Seu pai a questionou dizendo que o cão era grande demais, mas ela insistiu para voltar e salvá-lo.

“Quando a gente passou, vi ele parado igual a uma estátua, aí a gente voltou lá e realmente vi que ele estava abandonado, pois estava muito assustado e com medo”, acrescentou ela.

Quando Nathália chegou perto dele era nítido o medo que sentia, mas aos poucos foi conquistando sua confiança com os biscoitos que carregava na mala.

Até que finalmente conseguiu pegar o cachorrinho no colo.

Depois disso, os três seguiram até Apiaí, a cidade mais próxima, no Paraná, a qual ficava a cerca de 30 minutos do local de resgate.

Quando chegou na cidade, parou em um bar que tinha outros cachorros na porta e, então, perguntou para uma moça onde havia um veterinário para deixá-lo em segurança.

“Na mesma hora ela disse que estava precisando de um cachorro macho para sua casa. Foi assim que Thor, como foi chamado, foi resgatado e conseguiu um novo lar em 30 minutos”, observou Nathália.
"A gente só não ficou com ele porque estávamos a 500km de casa. Eu falei para meu pai que se a gente fosse ficar com ele, eu iria colocar o nome de Rastro, porque a gente achou ele no Rastro da Serpente", comentou ela.
“Meu coração está quentinho em saber que agora ele está bem e seguro”, finalizou.

Confira o vídeo:

Uma jornalista quase formada de 21 anos, completamente apaixonada por futebol e animais. É daquelas pessoas que não podem ver um cachorro ou gato na rua que já quer fazer carinho... Do tipo curiosa, gosta de contar boas histórias e aquecer o coração de seus leitores. Um pouco indecisa para os títulos das matérias, confesso, mas dedicada ao ponto de procurar sempre escolher as melhores palavras. Prazer, sou Letícia Michele Schneider, atualmente moradora de Passo Fundo (RS), tenho o sonho de deixar o mundo um pouquinho melhor e quem sabe um dia estar à beira do gramado entrevistando os jogadores da dupla Grenal.