Menina sobrevive a temperatura de -11º C após dormir abraçada com um cachorro de rua

Vika estava voltando da escola quando uma nevasca aconteceu e ela se perdeu

Por
em Aqueça o coração

Uma menina de dez anos conseguiu sobreviver a uma noite congelante de -11º C, na Rússia, após agarrar-se em um cachorro de rua para se aquecer.

Vika Z foi encontrada pela polícia e voluntários com diversas queimaduras de frio abraçando o animal que salvou sua vida.

Ela havia se perdido a 800 metros de sua casa quando voltava da sua escola em Uglegorsk, na maior ilha da Rússia, Sakhalin.

A nevasca que atingiu a cidade tinha mais de 2 pés de profundidade. Em alguns locais haviam montes que cobriam o primeiro andar de algumas casas, informou o Daily Mail.

Vika havia saído da escola às 13h e foi encontrada apenas na manhã seguinte às 8h45, também foram necessárias mais de 40 pessoas nas buscas.

Quando foi encontrada ela contou que estava 'abraçando um cachorro fofo para se aquecer'.

Vika e o cãozinho estavam deitados juntinhos em um colchão, que havia sido colocado para cães de rua, embaixo de uma varanda.

"Ela foi levada direto para o hospital e descobriu-se que estava com queimaduras leves", disse uma fonte local.

Olesya Voznyuk, uma funcionária do Comitê de Investigação, explicou que a menina amava muito os animais e que costumava brincar com os cachorros locais o tempo todo.

“Ela foi alimentar esses cães depois da escola e depois foi pega na tempestade de neve e ventos fortes”, destacou.

Mais tranquila, sua mãe Tatyana se encontrou com Vika no hospital e, felizmente, a menina pode voltar para casa no mesmo dia.

O cachorrinho que salvou a vida de Vika está desaparecido no momento, mas quando for encontrado receberá uma homenagem por sua atitude.

Uma jornalista quase formada de 21 anos, completamente apaixonada por futebol e animais. É daquelas pessoas que não podem ver um cachorro ou gato na rua que já quer fazer carinho... Do tipo curiosa, gosta de contar boas histórias e aquecer o coração de seus leitores. Um pouco indecisa para os títulos das matérias, confesso, mas dedicada ao ponto de procurar sempre escolher as melhores palavras. Prazer, sou Letícia Michele Schneider, atualmente moradora de Passo Fundo (RS), tenho o sonho de deixar o mundo um pouquinho melhor e quem sabe um dia estar à beira do gramado entrevistando os jogadores da dupla Grenal.