Biógrafa da Elizabeth II fala sobre paixão da rainha por animais, em especial cães: 'Sempre amou'

Por
em Notícias

Na última quinta-feira, 8, o mundo recebeu a triste notícia de que a rainha Elizabeth II morreu. Sabemos que a monarca era apaixonada por cães da raça corgi. Durante a sua vida chegou a ter 30 deles. Agora a especulação da imprensa do Reino Unido é de quem cuidará dos pets.

Os cães eram uma presença marcante no palácio, principalmente na vida da soberana. A biógrafa real, Ingrid Seward, disse ao Newsweek, antes da notícia da morte da monarca ser revelada: "ela adora animais e adora cães. Ela sempre amou, eles foram seu primeiro amor e serão o último".

Acredita-se que ela tinha cerca de quatro cães, dois corgis chamados Muick e Sandy, um Dorgi chamado Candy e um Cocker Spaniel. Um plano oficial não foi divulgado publicamente sobre o destino dos pets, mas Seward supõe que eles ficarão sob cuidados dos filhos da rainha.

“Imagino que os cães seriam cuidados pela família, provavelmente Andrew [já que] foi ele quem os deu a ela, eles são bem jovens, o corgi e o dorgi”, contou.

Já para a autora, Penny Junor, que publicou em 2018 um livro titulado 'All The Queen's Corgis', acredita que os cães serão cuidados pela equipe direta de funcionários da rainha.

"O cuidado com os cães às vezes recai sobre os lacaios, mas principalmente para a costureira de confiança da rainha, assistente e braço direito, Angela Kelly; e para sua página igualmente confiável de muitos anos, Paul Whybrew, que foi visto andando com a rainha e os cães na paródia de James Bond", escreveu Penny no livro.

O amor da rainha pela raça teve início em 1933, quando em seu aniversário de 18 anos foi presenteada com uma, nomeando-a Susan. E subsequentes, todos os corgis reais eram descendentes da cadela Susan.

No ano de 2015, a rainha decidiu parar de criar corgis, pois "não queria deixar nenhum para trás", quando morresse, segundo informou o treinador de cavalos e conselheiro de longa data da rainha, Monty Roberts.

Porém, o príncipe Andrew, quebrou a regra da rainha em não ter mais cães ao presenteá-la com Muick, um corgi e Fergus, um dorgi, no ano passado, após a morte de seu marido, o príncipe Philip.

Porém, Fergus morreu, então o príncipe e suas filhas lhe deram outro, um corgi chamado Sandy.

Mas Andrew não foi o único a quebrar a regra, a própria rainha quebrou. No ano passado a monarca adquiriu um cocker spaniel de quatro anos, Lissy.

“É o amor dela pelos cães, tanto quanto qualquer outra coisa, que permite que muitos de nós sintam que temos uma conexão especial”, escreveu Penny em seu livro.

Uma curiosidade que poucos conhecem é que através da rainha Elizabeth II, surgiu a raça Dorgi. Isso aconteceu quando um dos seus cães cruzou com o daschund Pipkin da princesa Margaret.

Veja também este vídeo:

10 histórias APAIXONANTES de idosos e seus pets