Cachorros ajudam a diminuir estresse de universitários em Curitiba (PR)

Para diminuir o nível de estresse dos seus estudantes, a Pontifícia Universidade Católica Paraná (PUCPR), em Curitiba, decidiu investir todas as suas fichas em um grupo de cães terapêuticos do projeto Focinhos, que trabalha para diminuir o número de animais abandonados em Curitiba e região metropolitana.

Os discentes encontram os ‘cãoterapeutas’ durante no intervalo entre as aulas, pelos blocos da universidade. Eles interagem com os animais, aliviando a tensão da rotina.

Entre uma visita e outra, os estudantes ficam livres para interagirem com os cachorros que estão acompanhados de seus tutores.

O projeto do Serviço de Apoio Psicopedagógico (Seap) da PUCPR promove o encontro em algumas datas agendadas ao longo do semestre. Não é necessário fazer inscrição, já que os animais ficam no térreo de cada bloco e em frente à biblioteca da universidade em datas específicas ao longo do semestre.

“Escolhemos datas em que os estudantes estão sob muita tensão, como o início das aulas, semana de provas ou trabalhos”, esclarece a psicopedagoga da SEAP, Ana Lucia Lacerda Michelotto.

As sessões têm se mostrado tão eficazes que o professor do curso de Psicologia e coordenador da Seap, Saulo Geber, nota a diferença na sala de aula. “Vi meus alunos agradecerem e falarem que o Focinhos mudou o dia deles”, relata.

Para os alunos, essa atividade também é positiva. “Às vezes a aula não foi legal, então, ver os animais e fazer carinho neles ajuda a quebrar a rotina. Sem contar que nesses momentos você conhece outros alunos que estão ali vendo o animal também”, conta a aluna do 3° ano do curso de licenciatura em História da PUCPR, Paula Purim Manfredini, de 20 anos.

Focinhos

Com o apoio da ONG Amigo Bicho e do Instituto Cão Companheiro, o projeto Focinhos é composto por cães de tutores da própria universidade.

A ONG, Em parceria com a universidade, ao seu calendário visitas na universidade. Já o Cão Companheiro é um instituto que dá cursos para cães de assistência e apoia o Focinhos fazendo a avaliação de novos animais no projeto.

A iniciativa conta ao todo com a assistência de 40 cães. No entanto, durante as visitas, não são todos os animais que vão. Em média, por encontro, há cinco cães participantes.

Fonte: Gazeta do Povo

Compartilhe o post com seus amigos!

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários