Cão que fugiu de casa por causa de maus tratos transforma vida de menina autista após ser adotado

No início deste ano, Helena foi diagnosticada com o Transtorno do Espectro Autista (TEA). Ela tem bastante dificuldade em se expressar devido a sua limitação comunicativa, além de não gostar de contato físico ou ruídos exteriores.

Em abril, sua mãe, Stella Petrovitz Barreto, adotou um cachorro atropelado que fugiu de casa após sofrer maus tratos constantes de seu antigo dono.

Stella trouxe o cão para o seu apartamento, que se juntou a outras duas cachorrinhas resgatadas. A mãe de Helena batizou-o de Avelar.

“Ele estava sem condição alguma. Senti que precisava acolhê-lo naquele momento; nossa ideia era colocá-lo para adoção após cuidarmos e alimentarmos ele, porém, a ligação entre Avelar e Helena foi tão forte que eu e o pai dela decidimos que o melhor a fazer era ficar com ele”, conta Stella.

Hoje, graças a essa união, Helena se tornou uma criança muito diferente daquela do início do ano.

De fato, ela passou a ser uma menina mais carinhosa e comunicativa, que vive conversando com o Avelar. Ela sabe pronunciar certinho o nome do cachorro, que é super amoroso e não sai de perto dela em seus momentos de crise.

Todos os dias, Helena e Avelar ensinam a Stella o significado mais puro e singelo do amor verdadeiro. “Sou muito grata por isso”, conclui.

Veja o relato de Stella na íntegra:

Fonte: Catioro Reflexivo

Compartilhe o post com seus amigos!

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários