Conheça Maggie, a cachorrinha mais velha do mundo

Já imaginou se o seu cãozinho de estimação ficasse com você durante três décadas? Isso aconteceu com Brian McLaren, um sortudo fazendeiro que reside em Perth, cidade do sudoeste da Austrália.

Embora o recorde de cão mais velho do mundo não seja oficialmente homologado devido a falta de documentos, Maggie, que morreu no ano de 2016, leva esse título mesmo não tendo entrado para o Guinnes Book.

Oficialmente o cão mais velho do mundo era um labrador (também australiano) chamado Bluey, que viveu durante 29 anos e 5 meses em Rochester, realizando um trabalho de pastoreio por incríveis 20 anos.

A cadela da raça kelpie fez companhia para seu dono por nada mais nada menos do que 30 anos, desde quando seu primogênito Liam completou 4 anos de idade e ela foi adotada com oito meses de vida.

Na época do falecimento de Maggie, o filho de Brian tinha 34 anos, portanto mesmo sem registros oficiais que comprovem a idade da cachorrinha ela foi nomeada informalmente como a mais velha do mundo.

Brian conta que Maggie era um animal de estimação muito dedicado e que ficava no ponto de ônibus aguardando as crianças retornarem da escola, sempre mesmo horário.

Com 30 anos, Maggie se mantinha muito bem aparentemente, o fazendeiro disse em uma entrevista para o jornal Weekly Times que na última semana de vida ela caminhou até o curral e depois de volta para a sede, e ainda latiu para os gatos da vizinhança, e então, morreu repentinamente no período de dois dias.

A família embora tenha ficado triste com o óbito da cachorrinha, sentiu-se aliviada porque ela se foi sem sofrimento partindo de morte natural.

Se convertermos a idade de Maggie para “anos humanos”, ela teria 164 anos de idade, visto que o tempo médio de vida dos cachorros é entre 8 a 15 anos.

Iris Francoso

Comunicadora com habilitação em Publicidade e Propaganda, acredita que a informação é essencial para ampliar a nossa visão de mundo. 
Atua como redatora freelancer e tem 25 anos de pura curiosidade. 
Amante da natureza e dos animais, segue em busca do equilíbrio e evolução constante.

Comentários