Detentos de bom comportamento são ressocializados com a ajuda de cães de abrigo de SP

Um projeto pioneiro tem ajudado de uma vez só na ressocialização de detentos do regime semiaberto de Taubaté (SP) e nos cuidados de animais abandonados do município. Os presos cuidam de cães e gatos e, com isso, recebem a remissão da pena.

Os detentos de bom comportamento são selecionados para cuidar dos animais resgatados pelo Centro de Controle de Zoonoses da cidade. Os 12 presos do projeto dão comida, banho, fazem tosa e limpam os canis e gatis.

Além da experiência, que pode dar a eles uma qualificação profissional como cuidador de animais, e da interação promovida pelo contato com os cães e gatos, os detentos podem reduzir o tempo da pena. A cada três dias de trabalho no projeto, eles ganham um dia de liberdade.

Os animais passaram a ser os melhores amigos dos presidiários no processo de ressocialização.

O projeto é realizado pelo poder público municipal em parceria com a Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região do Vale do Paraíba e Litoral (Corevali). Hoje, a iniciativa é realizada com presos de duas penitenciárias. Os detentos da Penitenciária Tarcízio Leonce Pinheiro Cintra (P1), de Tremembé, cuidam de 33 cachorros e os presidiários do Centro de Detenção Provisória (CDP), de Taubaté, são responsáveis por 24 gatos.

“Percebemos que tanto os animais quanto os presos ficam mais calmos, interagem melhor com as pessoas, aumentam a autoestima, riem mais, se comunicam melhor, ficam mais expansivos e receptivos”, disse o diretor técnico do CDP, Cláudio José do Nascimento Brás.

“Através dos animais, você trabalha senso de responsabilidade e afetividade. Devolvemos o preso à sociedade ele estando melhor do que entrou. O projeto vem totalmente de encontro a essa nossa missão”, disse o diretor técnico da P1 de Tremembé, André Bolognin.

Compartilhe o post com seus amigos!

Fonte: O Vale

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários