Estudante gaúcha deficiente auditiva ensina libras para sua cachorrinha pug... e ela entende!

Amigas inseparáveis há dois anos, a estudante gaúcha Tainá Borges, de 17 anos, e sua cachorrinha, Bella, fazem tudo juntas, inclusive se comunicarem por meio de Libras (a Língua Brasileira de Sinais).

A pug de quatro anos aprendeu os sinais com Tainá e o irmão dela, Andrei – que também é surdo, e sua namorada, Paula Cristina. Tainá sempre quis ter um animal de estimação dessa raça e decidiu trocar a festa de 15 anos pela cachorra.

Bella foi adotada em agosto de 2015, ainda um filhote, e mora com a família em Caxias do Sul (RS) desde então.

Apesar da vontade de querer se comunicar com a cadela, Tainá achava que Bella dificilmente conseguiria entender o que ela queria dizer. Tudo começou a mudar quando a cunhada da estudante, também surda, ensinou a cadelinha a sentar usando o comando em Libras:

“Minha cunhada pegou um biscoito para cachorro e eu fiz o sinal de sentar e a Bella sentou. Achei que ela tinha sentado apenas porque estava cansada. Pensei: não, ela não deve ter entendido o sinal, mas vamos tentar outra vez”, relembra Tainá.

Como Bella iniciou o treinamento ainda filhote, o aprendizado foi fixado com maior facilidade.

“A Bella me olha sinalizar em Libras, ela presta atenção e agora aprende rápido. Leva de dois a três dias para ela obedecer a um comando novo. Dou um biscoito sempre que ela obedece ao sinal, para entender que fez certinho.”

Cerca de quatro anos após o início do treinamento, Bella atende aos sinais de sentar, do que pode ou não comer, além de cumprimentar com as duas patinhas. Também sabe o lugar certo para fazer xixi, e guarda os comandos de brincar e passear com muito carinho (e apreensão!).

Quando Tainá faz o sinal de passear, a cadelinha já fica toda afoita e corre para a porta, doida para sair de casa.

A jovem afirma, emocionada, que a amiga sabe que ela e o irmão são surdos e isso faz dela a melhor cachorra do mundo.

“Não tenho muitas palavras para explicar como me sinto por ela ter aprendido. Ela está sempre atenta aos sinais que fazemos porque simplesmente sabe que nós não escutamos. A Bella nos entende e eu a amo muito porque ela sabe que somos surdos”, orgulha-se Tainá.

Compartilhe o post com seus amigos!

Fonte: Pioneiro

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários