Gatinha desaparecida e dada como morta é encontrada por antigo dono à beira da morte

Uma gatinha chamada Violet não para de surpreender sua família desde o dia em que a adotaram.

Em 2012, Drew Potter adotou a felina em um abrigo local de Grand Rapids, Michigan (EUA), como presente para sua filha e enteada.

“Eu a peguei durante um período em que minha família estava passando por uma separação”, disse Potter. “Eu estava namorando a mãe da minha filha e estávamos juntos há cerca de sete anos, mas estávamos chegando ao fim do nosso relacionamento, e foi um momento muito, muito triste para as meninas, em particular.”

Superando suas expectativas, Violet conseguia animar todos eles.

“Eu a trouxe para animar os espíritos, e ela efetivamente fez isso”, disse Potter. “Nós realmente gostamos dela. Ela era muito doce e gentil.”

Contudo, aproximadamente um ano e meio depois, a gatinha desapareceu.

“Eu havia aconselhado as meninas a não deixá-la sair porque ela era uma gata de interior, mas aconteceu de qualquer maneira”, disse Potter. “Por cerca de uma semana ou duas, ela ficou nos arredores do jardim de casa, então as meninas continuaram fazendo isso, porque Violet gostava muito de estar do lado de fora. Para encurtar a história, ela simplesmente desapareceu. Eu meio que presumi que alguém a agarrou porque ela parecia ser cara.”

Durante as primeiras semanas, as meninas procuraram pela gata em todos os lugares, postando panfletos e perguntando aos vizinhos se a viram, mas ela nunca foi encontrada.

“Apesar de termos ficado com ela por apenas um ano e meio, todos tínhamos um vínculo sólido com Violet”, disse Potter. “Então, quando ela desapareceu, foi muito difícil. Violet foi muito amada por todos nós.”

Após algumas semanas de procura intensa, a família não teve escolha a não ser aceitar que a gata não voltaria mais.

Com o desenrolar da separação, eles também deixaram sua antiga casa. Potter foi morar sozinho, enquanto sua ex-mulher, filha e enteada se mudaram para Sparta, Michigan.

Três anos depois, quando tudo parecia ter se normalizado em suas vidas, o homem recebeu inesperadas notícias de Carly Quinn, diretora do Controle Animal do Condado de Ionia.

“Quando eu visualizei a mensagem do Facebook, ela [Quinn] disse: ‘Acho que encontrei o seu gato'”, relatou Potter. “Eu estava muito, muito cansado, terminando um turno de 12 horas e parecia um sonho quando ela disse “Violet”.

Alguns dias antes, Quinn havia sido marcada em um post no Facebook sobre uma gata ferida encontrada no jardim de uma mulher.

“A mulher disse que a gatinha não se mexia há horas, possivelmente até dias”, disse Quinn. “Ela estava deitada em seu jardim ao lado da casa. Quando cheguei, a pequenina mal conseguia levantar a cabeça. Eu sabia que era ruim quando me aproximei dela e ela não fez nenhuma tentativa de correr, o que a maioria dos gatos faz quando se aproxima de um estranho. Você podia ver nos olhos dela que ela precisava de ajuda.

Além de muito cansada, Violet estava desidratada, desnutrida e coberta de pulgas e outros parasitas.

“Quando nossa equipe de veterinários começou a depilar ela, você poderia dizer que ela começou a relaxar”, disse Quinn. “Especialmente depois do banho de pulgas, ela começou a se animar. Mas no dia seguinte, ela era uma gata totalmente diferente. Ela ficou a noite no veterinário e pegou comida enlatada, água e uma cama macia. Quando a peguei de manhã, ela estava com os olhos brilhantes e a cauda espessa. Literalmente, porque era a única coisa que eles não tinham depilado! ”

Felizmente, Violet tinha um microchip que listava Potter como seu pai, embora os detalhes de contato de Potter estivessem desatualizados, a mulher foi à sua procura no Facebook.

“Eu tentei encontrá-lo o dia todo, mas o nome completo de Drew é bastante genérico… o Facebook criou um milhão de pessoas possíveis diferentes que poderiam ser ele. Depois de analisar provavelmente 30 perfis do Facebook, encontrei o Drew correto. Cheguei a uma foto da gata sendo abraçada por sua filha. Lembro-me de dizer para mim mesmo: ‘Achei!.’

No dia seguinte, Potter e sua enteada (que morava com ele na época) foram ao abrigo buscar a gatinha, que agora tem 10 anos.

“Eles a colocaram em meus braços, e ela estava bem e contente”, disse Potter. “Ela estava muito, muito fraca por tudo o que ela passou. Não sei se ela estava ciente, mas quando a trouxe para casa, ela instantaneamente usou a caixa de areia e agiu como se estivesse em casa. Ela pulou no sofá e nos deixou acariciá-la.

Potter ligou para a outra filha, que estava com a mãe em Esparta, e ela ficou surpresa com a notícia.

“Todo mundo estava chorando”, disse Potter. “Eles não podiam acreditar. Nós estávamos todos em choque. ”

Após viver alguns meses com Potter, a gata acabou se mudando para Esparta para ficar com sua filha e enteada, que voltou a morar com a mãe. “Violet está recebendo muito amor e atenção por lá, e ela está prosperando”, disse Potter.

“É um milagre – não há outra palavra para isso”, disse o homem. “É apenas uma benção. Quero agradecer a Violet por ter se manifestado em nossas vidas.”

Fonte: The Dodo

Compartilhe o post com seus amigos!

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários