Cãozinho rottweiler policial, terror dos meliantes, falece e deixa saudade em delegacia do MS

Por treze longos anos, o cão policial Vitor serviu à Delegacia Especializada de Repressão à Roubos e Furtos (Derf) de Campo Grande (MS).

Na terça-feira (11/12/19), a delegacia comunicou com pesar o falecimento do mascote, que era bastante temido pelos criminosos que ficavam na sala de triagem da unidade policial.

"'Ninguém se mexia com ele por perto', era um cachorro grande e metia medo", afirmou o delegado titular Reginaldo Salomão.

Ao longo deste ano, o cão rottweiler foi submetido a uma série de tratamentos após a descoberta de um tumor. "Nós conseguimos o apoio de uma ONG [Organização Não Governamental], que fez as últimas internações e também conseguiu parte do medicamento dele. Isso amortizou a nossa dívida, que agora é em torno de R$ 4 mil", comentou Salomão.

Vitor foi muito bem cuidado ao longo do tratamento, mas infelizmente não resistiu à gravidade da doença. "Infelizmente, nesse meio tempo ele parou de se alimentar. Foi quando ele internou novamente e faleceu. A veterinária já tinha autorizado a eutanásia, mas, nesse meio tempo ele faleceu. O Vitor era um cão muito ativo e depois da cirurgia para combater o tumor na coluna cervical, ele parou de andar. Acho que ele ficou muito triste", finalizou.

Compartilhe o post com seus amigos!

Fonte: G1

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários