Cão vira-lata 'escreve' cartinha fofinha para pessoa que o abandonou e emociona a internet

Muitos foram os acontecimentos que tornaram Tobe tão especial, entre eles, salvar a dona de um assalto

Nem tudo o que sentimos conseguimos expressar em palavras, mas nem sempre precisamos, prova disso é a reciprocidade no amor dos animais.

Mas e se eles pudessem falar, o que será que eles teriam a dizer? A Juliana Romero, moradora de Jundiaí (SP) imaginou e criou uma carta de agradecimento em nome do seu pet, que havia sido abandonado por alguém e adotado por ela.

As palavras emocionantes ganharam grande repercussão na web. "Oi humano (a) que me abandonou um dia… Gostaria de agradecer por isso, graças a você, fui adotado, engordei 15 kg, saí da desnutrição, tenho vários irmãos que eu também conheci na rua, hoje moram comigo!", diz parte da carta.

O homenageado Tobe, tem muitos méritos, um deles foi de ter salvado a vida da dona de um assalto. "Fomos feitos de refém e ele [Tobe] uivou muito naquela noite… ele nunca tinha uivado, chamou a atenção e quando minha irmã chegou, estávamos sendo reféns na sala. Ela desceu correndo e chamou a polícia", relembra Juliana.

Forte né, gente? Para amar não precisa de muito não.. Basta querer!

Confira o post na íntegra:

"Oi humano (a) que me abandonou um dia...em Jundiaí SP

Gostaria de agradecer por isso, graças a você,fui adotado, engordei 15 kg,saí da desnutrição, tenho vários irmãos que eu também conhecia da rua, hoje moram comigo!

Sabe humano (a) não sei qual foi o motivo por ter me largado, com aquela coleira vermelha apertada sofri muito,entendo que talvez eu não coube na sua mudança ou faltou dinheiro pra minha ração,mas a humana que me adotou,também estava desempregada comprava da ração mais barata e pra complementar colocava fígado de galinha e ovos, foi assim por um bom tempo! Até ela se ajustar! Eu não precisei de muito pra me recuperar dos traumas da rua,só precisei de amor!

Minha dona me chama de Tobe,de gordura,de amigo, de bicho,tenho vários nomes, eu sou muito de boa e tranquilo, mas não gosto do homem de amarelo que coloca papéis numa caixinha que ela tem no portão, eu tento impedir mas esse homem sempre deixa uns papéis lá

Eu gosto de latir uns homens de roupa laranja também, esses tiram uns sacos pretos da humana, eu não entendo ela deixa eles pegar

Hoje sou castrado,a humana disse que é bom pra minha saúde e também pra que eu não precise pagar pensão por aí, apesar de nunca escapar pra nada... Mas se ela diz eu acredito

Termino aqui minha carta pra você mesmo assim eu te agradeço por ter me deixado, você não merecia minha companhia, só peço a Deus que nunca ninguém te abandone."

crédito IG:@julianassromero

Ana Caroline Haubert

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários