Garoto deixa seu cão pitbull em abrigo para salvá-lo das agressões do próprio pai e relata em carta

A difícil decisão do que parece um abandono, foi na verdade muito corajosa e um ato de amor para salvar um melhor amigo...
Foto: Refugio Xollin
Foto: Refugio Xollin

Uma história de partir o coração, mas que se encaminha para um final feliz!

Um garotinho de 12 anos teve que tomar uma decisão muito difícil, mas necessária para manter seu cão pitbull à salvo.

Andrés, como se identifica em uma carta que foi deixada junto com um ursinho de pelúcia e o cachorro, na porta de um abrigo do estado mexicano Michoacan, explica o porquê da decisão:

"Meu nome é Andrés e tenho 12 anos. Minha mãe e eu decidimos deixar meu cachorro em suas mãos, escondendo-o do meu pai porque ele está pensando em vendê-lo. Mas ele o maltrata e chuta. Um dia ele o chutou com tanta força que ele machucou o rabo do meu cachorrinho. Espero que você possa ajudar e cuidar dele. Deixei um bicho de pelúcia para ele não me esquecer", escreveu na carta.

Foto: Refugio Xollin
Foto: Refugio Xollin

Comovidos com a situação, o grupo de resgate compartilhou a história no Facebook e muitas pessoas se interessaram em adotar o cão.

Em contrapartida, o abrigo possui mais 120 cães que também precisam ser acolhidos por lares adotivos. "Se todos abrissem seu coração e sua casa, teriam adotado todos os nossos cães do abrigo", disseram os socorristas em um post no Facebook. Agora o pitbull passa por um processo de tratamento e cuidados para depois poder finalmente ser adotado e receber muito amor. Que assim seja!

A atitude da criança foi de extrema compaixão para com seu amiguinho de quatro patas. Andrés amava muito seu cão, mas ao mesmo tempo sabia que era injusto manter seu melhor amigo em uma casa em que sofria agressões constantes de seu próprio pai. Quem sabe, a melhor atitude a ser tomada era de sua mãe se separar deste homem e ir viver com seu filho e o cão em outra casa... Mas, não podemos julgar pois não temos informações suficientes sobre esse núcleo familiar. Basta torcer para que todos fiquem bem com a situação e encontrem um caminho de amor e paz!

Compartilhe esse post com seus amigos!

Ana Caroline Haubert

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo.
Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários