Logomarca Amo meu PET

Passeador de cães conta como essa nova profissão transformou sua vida

Por
em Notícias

Um homem ganhou a oportunidade de trabalhar com seu emprego dos sonhos. Tarlison Suello, que tem 43 anos, atua como passeador de cães na cidade de Porto Alegre. Ele trabalha com na área há 13 anos, quando deixou seu antigo emprego para seguir a vontade de passar o dia todo rodeado pelos simpáticos doguinhos.

Tudo começou quando o porto-alegrense percebeu que não passava o tempo necessário com seu salsichinha Jimi Hendrix. Afinal, trabalhava de dia e estudava de noite, então os passeios do cãozinho eram limitados a 15 minutos antes de ir pro trabalho e 15 depois da faculdade.

“Chegou uma época em que era tanto estresse que eu já não estava conseguindo levantar da cama para trabalhar” - ele conta ao Gaúcha ZH. “Ter mais qualidade de vida, e que o Jimi fosse beneficiado também”.

Em uma viagem para a Argentina, ele descobriu a existência da profissão de passeador de cães, mas o empurrão que precisava veio só depois que seu professor da faculdade deu um trabalho em que precisava criar uma empresa e sugeriu inocentemente algo como passeador de cães. Isso foi o pontapé inicial para que Tarlison pedisse demissão e começasse a se preparar para passar o dia caminhando com os cachorros.

Fez todos os estudos necessários, como cursos de preparação para lidar com cães, e começou a fazer as contas do quanto precisaria e do quanto ganharia. Como todo começo, foi difícil, todavia quando começaram a surgir vários clientes o estresse mental foi sendo substituído pelo físico e como ele mesmo diz:

“Depois de um dia puxado, tu chega em casa, toma banho, ganha uma lambidas dos seus próprios cachorros e tudo passa.”

Atualmente, o passeador trabalha entre 12 a 14 horas por dia, porém faz isso com prazer e, segundo ele, se você souber se organizar financeiramente, consegue fazer o bastante para viver até em uma das cidades mais caras do Brasil como Porto Alegre.

Infelizmente, Jimi Hendrix, o cãozinho que inspirou toda a mudança de vida de Tarlison faleceu no último domingo (21) aos treze anos.

“Foi por ele que eu me dediquei esses anos todos. E é por ele e por todos os novos cães que eu vou continuar com a minha atividade”.

Você pode conhecer mais da história de Tarlison e seu trabalho ao acompanhar seu Instagram clicando aqui.

Dog Walker

Essa profissão está começando a se tornar mais presente no Brasil, então trago aqui uma notícia de um passeador americano que consegue deixar todos os bichinhos organizados para tirarem fotos!

Estudante de jornalismo que é apaixonado por tudo que tenha super-heróis, dragões e faroeste (ele se pergunta todo dia quando que vai lançar um filme misturando os três). Gosta de ler, com um favoritismo em fantasia (por que será?) e adora ver séries em geral. Ama estudar sobre criatividade e sociologia. Tem uma doguinha perfeita e sem defeitos chamada Athena. Também gosta de cinema e matar tempo nas redes sociais vendo memes.