China anuncia fim do uso de animais em testes de cosméticos

Em um comunicado surpreendente, o governo chinês anunciou que proibirá o uso de animais para testes de cosméticos.

Por meio da feito pela Associação Nacional de Produtos Médicos da Província de Gansu, o governo divulgou uma nova resolução, que encerra quaisquer testes com produtos químicos em animais para todos os produtos importados de outras nações e produzidos no próprio país.

Diversas ONGs e entidades internacionais comemoraram a notícia, como por exemplo a Cruelty Free International (CFI), que classificou como um “passo importante” no objetivo de encerrar testes de produtos químicos em animais do mundo todo.

China foi por muito tempo conhecida internacionalmente como uma nação com legislação permissiva que permitia que grandes empresas testassem seus produtos em animais indiscriminadamente.

“Esta garantia das autoridades chinesas de que testes pós-venda em animais não são agora uma prática aceitável é um enorme passo na direção certa, além de uma notícia muito muito bem-vinda”, disse Michelle Thew, presidente-executiva da CFI, em uma nota à imprensa.

Michelle acrescentou que, “embora isso não signifique que as empresas de cosméticos possam importar para a China imediatamente e serem declaradas livres de crueldade, a organização está ‘encantada’ com o progresso do país.”

“Esperamos que isso abra o caminho para a mudança completa da legislação atual, que irá beneficiar empresas livres de crueldade, o consumidor chinês, além de milhares de animais”, complementou.

Desde outubro do ano passado, o Instituto Nacional de Controle de Alimentos e Medicamentos anunciou que estava pesquisando “alternativas viáveis” para testes com animais em cosméticos, observando que o desenvolvimento e a pesquisa de métodos livres de crueldade eram uma das principais prioridades da organização.

Válido ressaltar que um número cada vez maior de países têm proibido o uso de animais em testes envolvendo produtos químicos, com as nações escandinavas sendo as pioneiras na adoção de uma legislação mais rígida e preocupada com a qualidade de vida desses animais.

Em janeiro deste ano, a Austrália aprovou um projeto de lei que proibia completamente os testes com animais em cosméticos.

Há esperança de que outras nações, como Nova Zelândia, Japão, África do Sul e Argentina aprovem resoluções semelhantes ainda este ano.

Para Hannan Stuart, gerente da Humane Society International, ONG pró-animais, “esta proibição reflete tanto a tendência global de acabar com a crueldade dos cosméticos quanto a vontade do público australiano, que se opõe ao uso de animais no desenvolvimento de cosméticos”.

Compartilhe o post com seus amigos!

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários