Gatinha que vivia em caixa de papelão descobre como é se sentir segura de verdade

Quando a família da gatinha Marcy foi despejada no ano passado, eles se mudaram para outro lugar, deixando-a para trás, à mercê da própria sorte nas ruas.

Ela encontrou abrigo em uma caixa de papelão velha no quintal de um vizinho e morou lá por vários meses, até que finalmente, em dezembro, alguém decidiu que não poderia mais deixá-la viver sob tais condições.

Rebecca McGinn estava visitando seu irmão para o aniversário da sobrinha quando ele contou sobre um gato que morava em seu quintal. Ela saiu para ver se Marcy iria deixá-la se aproximar – e instantaneamente se apaixonou pelo gatinho.

Assim que viu Marcy, doente e sem lar, Rebecca sabia deveria levá-la para casa.

“Eu decidi adotá-la pois suas condições eram muito precárias – ela morava dentro de uma caixa de papelão encharcada, tremia de fio e sofria dores pelo corpo,” disse. “Assim que me viu, ela veio sobre mim com muito amor – tão doce e carinhosa…”

Marcy estava em péssimas condições quando Rebecca a recebeu pela primeira vez, e após uma visita ao veterinário, foi diagnosticado que ela tinha problemas nos olhos, além de vermes, pneumonia, uma infecção no pulmão e problemas de pele que estavam fazendo seus pelos caírem.

Todos sabiam que o caminho até a completa recuperação de Marcy seria longo, mas Rebecca estava determinada a levá-la para casa, provendo-lhe um lugar agradável e aconchegante para que ela pudesse se recuperar. Um lar amoroso e preocupado com Marcy.

“Ela se instalou na casa, se enrolou nos cobertores e dormiu por dias”.

Depois de ter passado por tantos maus bocados, Marcy ficou estava feliz em finalmente ter um abrigo limpo e seco para descansar – aliás, ela ficou viciada por cobertores e travesseiros fofinhos.

“A coisa que ela mais ama é estar comigo e com meu parceiro, abraçados”, disse Rebecca. “Ela é 100% obcecada por cobertores e pessoas; adora estar escondida e coberta. Ela está abraçada comigo ou em um cobertor macio 99% do tempo!

A gatinha adora travesseiros…

E cobertores…

E seus donos.

Marcy pode ter tido um passado difícil, mas agora que encontrou uma nova família, eles vão se certificar de que ela esteja sempre feliz e confortável pelo resto de seus dias.

“Ela tem a personalidade mais doce e amorosa do mundo”, afirma Rebecca. “Ela é super pegajosa e ama ter atenção. É calorosa e confiante com todos. A amamos incondicionalmente.”

Compartilhe o post com seus amigos!

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários