Cães veem os donos como se fossem seus pais

Os cachorros são os maiores companheiros e melhores amigos de milhões de pessoas ao redor do mundo. Enxergamos lealdade e, sobretudo, amizade incondicional quando pensamos neles.

No entanto, de acordo com uma nova pesquisa com respaldo empírico e científico, eles não nos enxergam da mesma maneira.

O estudo conduzido pela veterinária Lisa Horn, da Universidade de Viena, na Áustria, afirma que os cães nos enxergam como se fôssemos, literalmente, seus pais.

Por isso mesmo que quando eles já estão velhinhos, eles desempenham comportamentos tipicamente identificados como infantis.

Lisa estudou 22 cães, divididos em 3 grupos bem definidos:

1. O primeiro grupo de cães ficou sozinho, sem os donos

2. O segundo grupo esteve acompanhado pelos donos, mas eles permaneceram em silêncio

3. Já o terceiro grupo estava acompanhado pelos donos e estes os encorajaram a realizar a atividade proposta, que consistia em brincar com alguns brinquedos disponíveis. Em troca, os cãezinhos ganhariam comida.

Os cachorros que estavam com seus donos por perto brincaram bastante; no entanto, aqueles que estavam sozinhos não se sentirem à vontade para brincar, nem mesmo a comida os motivaram a se divertir.

Momento depois, Lisa refez o teste, mas trocou os donos dos cachorros por pessoas completamente desconhecidas.

Os resultados não foram os mesmos: mesmo acompanhados, os cachorros não demonstraram interesse algum em brincar, revelando o forte vínculos entre os cães e seus donos.

Para a pesquisadora, seu experimento demonstrou com clareza que os cães possuem uma dimensão psicológica chamada “área de segurança”. Em outras palavras, isso significa que eles se sentem mais à vontade, seguros e motivados quando estão próximos de seus pais humanos, e quando distantes, tudo tende a ser mais perigoso ou desinteressante.

Tal padrão, curiosamente, foi observado entre pais e filhos [humanos]. As crianças sentem-se mais confortáveis quando estão próximas de seus pais, não se abrindo muito para o mundo quando sozinhas.

“Esta é a primeira evidência da similaridade entre o ‘efeito de base segura’ encontrado na relação dono-cachorro e na criança-pai”, diz Lisa.

Compartilhe o post com seus amigos!

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários