Em vídeo fofo, cachorrinha só aceita passear depois que vê dona colocar máscara

“Até os pets sabem que ainda é necessário usar máscara ao sair”, escreveu Gê Balbino na legenda da publicação

Por
em Cães

A professora de matemática, Gê Balbino, moradora de São Bernardo do Campo, São Paulo, compartilhou em sua rede social um vídeo em que aparece sua cachorrinha Luna que só aceita passear quando ela coloca sua máscara.

“Vem, vem com a mamãe? Vamos passear? Vamos?!”, diz Gê.
“Ahh… é porque eu tô sem máscara!!”, acrescentou a professora.

Depois de colocar a máscara, Luna vem correndo até ela para ir passear.

“Até os pets sabem que ainda é necessário usar máscara ao sair”, escreveu na legenda da publicação.

Em entrevista exclusiva ao Amo Meu Pet, Gê relembra que Luna era de um canil clandestino e uma ONG resgatou-a. Certo dia, uma amiga sua falou sobre a ONG e ao visitá-la se apaixonou por Luna.

“Ela estava bem quietinha num canto, super desconfiada e tremia de medo. Senti que ela precisava de muito amor e como eu tenho muito, decidi pegá-la e cuidar dela”, contou.
“Aliás, ela também me fez um bem enorme! Eu também passava por momentos de crise de ansiedade”, acrescentou a professora.

Além disso, Gê destaca que Luna estava sujinha e sua boca cheirava mal. Ela tinha muitos tártaros nos dentes, assim foi necessário remover 14 deles.

“Ela tem alguns problemas: na traqueia, no coração, alergia (está fazendo uma bateria de exames para descobrir as causas). Precisa tomar medicamentos todos os dias”, explica a educadora.

Em fevereiro de 2022, Luna estará aos cuidados de Gê há dois anos, no entanto, ela ainda tem certo receio de colo.

“Ela é muito 'arisca', não gosta muito de colo, daí eu chamo ela pra passear e ela não vem (como os cachorros fazem normalmente), ela pensa que é para pegar ela no colo. Então, a coleira e a máscara são os objetos que dão entendimento à ela de que vamos sair”, comenta.
“A mania de máscara começou mesmo no ano passado, com a pandemia. A coleira também é um sinal! Então, quando a pandemia acabar, restará a coleira como dica”, finalizou Gê.

Impossível não se encantar por essa fofa que é a Luna, né gente?

Veja também:

Pépe Bonner traz histórias cativantes de fim de ano com os pets

Uma jornalista quase formada de 21 anos, completamente apaixonada por futebol e animais. É daquelas pessoas que não podem ver um cachorro ou gato na rua que já quer fazer carinho... Do tipo curiosa, gosta de contar boas histórias e aquecer o coração de seus leitores. Um pouco indecisa para os títulos das matérias, confesso, mas dedicada ao ponto de procurar sempre escolher as melhores palavras. Prazer, sou Letícia Michele Schneider, atualmente moradora de Passo Fundo (RS), tenho o sonho de deixar o mundo um pouquinho melhor e quem sabe um dia estar à beira do gramado entrevistando os jogadores da dupla Grenal.