Cachorra é salva após ser abandonada e passar oito meses isolada em ilha de RO

Por
em Aqueça o coração

Savana é uma cachorra de porte grande que virou até notícia de televisão, depois de passar oito meses completamente isolada em uma ilha, cercada por mato e pelo Rio Guaporé, no estado de Rondônia.

A cachorra foi abandonada impiedosamente por seu antigo tutor no local. Durante esses meses, além de enfrentar a fome, correu forte risco de ser atacada por animais selvagens, como onças ou jacarés.

A história ficou conhecida depois de uma amiga de Madalena Souza compartilhar um vídeo em sua conta no Instagram, no dia 7 de dezembro, mostrando uma cachorra de cor branca, sozinha em meio a Amazônia, em uma praia.

“Muitas pessoas tentaram resgatá-la, mas o medo de tudo o que viveu até ali, lhe fez ficar muito arrisca e desconfiada de todos que tentavam se aproximar. Porém uma alma generosa e de coração paciente decidiu que era hora daquele sofrimento todo acabar, aceitou o desafio de tirá-la daquela ilha”, diz um texto no vídeo.

Madalena foi aos poucos tentando conquistar a confiança de Savana com comida, até que finalmente conseguiu resgatá-la.

“Aos poucos foi conquistando a sua confiança. E depois de mais quatro horas de tentativas. Finalmente ela foi resgatada”.
“E depois de tanto tempo abandonada à própria sorte, ela está segura e feliz vivendo com sua nova família. E mais uma vez o amor venceu”, termina dizendo o vídeo.

Ao todo, a publicação foi vista por mais de 126 mil pessoas. Além disso, teve 10 mil curtidas e 1.197 comentários.

“Que emoção… Chorei aqui. Adoraria que todos os humanos tivessem essa humanidade com os animais”, declarou um internauta.
“Muito emocionante… Fiquei sem palavras… Que Deus abençoe vocês”, destacou Roger.
"Parabéns pela iniciativa! Que Deus abençoe e que seja exemplo para muitas iniciativas como essa. Não tem como ver esse vídeo e os olhos não se enxerem de lágrimas”, observou Anathaly.

Em entrevista ao programa Fala Brasil da TV Record, Madalena disse que quando chegaram ao local já havia várias pessoas que tentaram tirá-la de lá, mas não conseguiram.

“Os pescadores alimentavam ela, a gente via que tinha uma vasilha de alimento, mas ela era muito arisca e a gente não conseguia chegar até ela de jeito nenhum. O máximo que você conseguia chegar era uns 5 ou 6 metros de distância”, explicou a mulher.
“Quando a gente vai chegando, ela vinha correndo e eu ainda falei para ela: 'a gente vai tirar você daqui'”, acrescentou emocionada.

Hoje, Savana é extremamente brincalhona e aproveita como ninguém o aconchego de seu novo lar.

Veja o vídeo:

Uma jornalista quase formada de 21 anos, completamente apaixonada por futebol e animais. É daquelas pessoas que não podem ver um cachorro ou gato na rua que já quer fazer carinho... Do tipo curiosa, gosta de contar boas histórias e aquecer o coração de seus leitores. Um pouco indecisa para os títulos das matérias, confesso, mas dedicada ao ponto de procurar sempre escolher as melhores palavras. Prazer, sou Letícia Michele Schneider, atualmente moradora de Passo Fundo (RS), tenho o sonho de deixar o mundo um pouquinho melhor e quem sabe um dia estar à beira do gramado entrevistando os jogadores da dupla Grenal.

Últimas notícias