No altar, padre critica noivos por trazerem cães para igreja e nega bênção

Por
em Notícias

O casal Antônio Eliwelton Rodrigues da Silva e Brenda Jamille planejavam pajens especiais para o seu casamento: os vira-latas Scooby e Pipoca.

Só que a atitude do padre, César Retrão, na cerimônia que aconteceu no último sábado, 14, na Paróquia São Sebastião, em Nova Olinda, Fortaleza, Ceará, deixou os noivos e convidados perplexos.

O reverendo se negou a dar a bênção final por não concordar com a entrada dos cachorrinhos na igreja.

Em vídeos é possível vê-lo criticando: "Isso é o cúmulo".

Veja:

Segundo o noivo, a entrada dos pets foi combinada no dia anterior, e pagaram uma taxa de R$ 310,00 para a realização do matrimônio.

"Para evitar qualquer imprevisto perguntamos para o secretário paroquial se tinha algum problema. Ele afirmou que não tinha nenhum problema, pois o padre não iria achar inconveniente. Ficou um clima ruim demais. Na hora que os cães entraram, ele disse que era inaceitável, um cúmulo dois cachorros entrarem com alianças e estarem ali naquele ambiente", afirmou Antônio ao G1.

Porém o contrário aconteceu, depois da entrada dos pets, quando Antônio pegou as alianças, a feição do padre mudou.

O noivo contou que o sacerdote pediu para que eles e os padrinhos assinassem os papéis e em seguida saiu do local, sem dar a bênção final em que diria "declaro vocês marido e mulher".

"A bênção final, a parte mais esperada do casamento não aconteceu, pois ele saiu do local logo depois da gente assinar os papéis. Aí ficamos lá constrangidos", disse.

Confira:

Procurada pela reportagem, a diocese do Crato afirmou que o caso será analisado em uma reunião com o Colégio dos Consultores junto do bispo diocesano - a data ainda não foi marcada. Só depois que discutirem sobre o assunto a diocese terá uma posição.

E a entrada dos pets no casamento era algo muito significativo para o casal, pois juntos, mantém o Instituto Lilica, há quase quatro anos, uma instituição que cuida de 130 cachorros e 40 gatos.

A duplinha que carregou as alianças fazia parte da organização, pois receberam cuidados dos voluntários do local.

Scooby, foi atropelado perto da casa do pai do noivo, foi socorrido e levado para a instituição, seu tratamento durou cerca de três meses. Já Pipoca é fruto de um abandono, seus antigos donos a largaram num terreno baldio por apresentar uma doença que a deixou cega.

"Ela foi abandonada e estava cega. Demos para ela todo um tratamento especial e medicação. Por isso, todo esse cuidado todo, ela é mais carinhosa. Quando escuta a voz da gente já corre e pula em cima da gente. São animais e têm sentimentos. Acho que merecem respeito", afirmou.

A bênção do padre era importante, mas acredito que não fará falta, pois o sentimento de bondade e amor ao próximo que o casal têm é mais significativo do que qualquer coisa. Alegria ao casal!

Você também vai gostar deste vídeo:

O caso do caramelo guia turístico e mais no Jornalzinho Amo Meu Pet