Antes de falecer, mulher faz apelo em vídeo para que adotem seus 21 gatos

Por
em Notícias

Preocupada com o futuro dos seus 21 gatos, uma moradora de Cotia, São Paulo, fez um apelo nas redes sociais para que alguém adotasse os felinos antes de falecer.

Eliana Lima Ribeiro, 58, faleceu no dia 5 de junho, e sabendo da sua condição de saúde foi a público pedir ajuda para os seus bichinhos de estimação que ficariam sem proteção após sua morte.

“Eu não estou conseguindo, infelizmente, cuidar mais deles. Estou vivendo de doação. Estou bem debilitada. Eu gostaria de saber se têm pessoas que poderiam ficar com eles. Eles não dão trabalho nenhum. Se vocês puderem me ajudar...”, disse Eliana no vídeo.

Antes do seu falecimento, a protetora de animais, Giane Lima, chegou a entrar em contato com a mulher por telefone. Foi Giane que orientou Eliana e uma vizinha a gravarem o vídeo, pois assim conseguiria ajudá-la a encontrar adotantes para os gatinhos.

“Eu pedi para que ela [vizinha] fizesse o vídeo para que a Eliana, pessoalmente, pedisse essa ajuda, assim eu divulgaria com autorização dela”, disse Giane ao Cotia e Cia.

A protetora além de usar o vídeo para encontrar adotantes, passou dias arrecadando ração e, no domingo 5, quando foi até a casa de Eliane para conhecê-la pessoalmente, foi surpreendida com a notícia de que ela estava hospitalizada.

"Uma hora depois, recebi a notícia que ela tinha morrido. Eu estou agora na luta. Consegui uma pessoa que está fazendo um gatil. Comprei o material para ela fechar, aí nós vamos transportar esses animais para lá. Porém, têm alguns candidatos para adoção. A ideia dela [Eliana] era justamente essa: adotar todos. Há anos ela já estava tentando adoção para eles. Porém, ninguém a ajudou", contou.

Em áudios enviados pelo WhatsApp, Eliana contou a protetora que tinha diabetes e pressão alta. E que há 22 anos, por conta de um acidente precisou colocar uma prótese no quadril e devido a uma queda dentro de casa a prótese se soltou, resultando em graves complicações.

“Uma das consequências da minha doença é estar muito inchada. Como a prótese saiu do lugar, ela acaba apertando outros órgãos. Ela está me comprimindo. Estou há 5 anos aguardando [cirurgia] pelo SUS, porque não tem uma assistência médica”, disse Eliana em um dos áudios enviados para Giane.

E disse mais, que devido a sua situação de saúde não tinha condições de trabalhar, tendo muitas dívidas acumuladas e, mesmo assim, nunca pensou em abandonar seus gatinhos.

“Hoje, o que eu mais tenho medo é em relação aos meus gatos. Eu trabalho há 30 anos com isso. A maioria dos gatos tem de 14 a 17 anos. São castrados. Não vão para a rua. Não seria justo largá-los por aí. Não dá. Eu estou procurando instituições com ajuda dos amigos. Mas as instituições já estão super lotadas. Eles só precisam de um lar”, disse Eliana aos prantos.

Suas falas para a protetora provam ainda mais esse amor:

"Eu estando sozinha, não tem problema. A gente se vira. Mas para eles é muito cruel. Eles são muito bons. Eles viveram a vida inteira comigo. Se eu tivesse a certeza que, virando as costas, ou acabando a minha missão aqui na terra, eles iam ficar bem, estava tudo certo. Mas essa certeza eu não tenho".

Confira:

E se você é da região de Cotia e se sentiu tocado a ajudar de alguma forma esses bichinhos, entre em contato com o número: 11 96554-6578.

Veja também este vídeo do nosso canal:

Cachorros, gatos e outros animais MELIANTES - Pets malandros