Gata quase morre após sofrer intoxicação por lâmpada de sal

Fonte: O Documento

Apesar de teoricamente ser inofensivo, lâmpadas de sal podem ser bastante perigosas para animais de estimação, podendo ser fatais para cães e gatos.

A neozelandesa Maddie Smith notou que sua gata Ruby, de 11 meses, estava agindo de maneira estranha, com tremedeiras e pequenas convulsões que pareciam que ela estava com frio.

No terceiro dia, ao voltar do trabalho, Maddie percebeu que Ruby não havia comido, nem bebido naquela tarde - pior, ela não conseguia nem andar, nem ver, nem ouvir.

Desesperada com a situação, a mulher levou Ruby a uma clínica veterinária o mais rápido que pôde. O diagnóstico surpreendeu todos: a gata estava sofrendo de intoxicação por ingestão de sódio. Isso fez com que seu cérebro inchasse, prejudicando seu sistema nervoso.

Em animais, o envenenamento por ingestão por sódio é fatal, pois causa convulsões severas, vômitos, diarreia e perda de coordenação motora.

Mas afinal de contas, o que poderia ter feito Ruby comer tanto sódio ao ponto de ser intoxicada? A resposta é simples, e está presente em muitas casas, como decoração: uma lâmpada de sal do Himalaia.

O envenenamento ocorreu porque a gatinha ficou lambendo a lâmpada de sal - quiçá, por horas. Pelas redes sociais, Maddie fez um apelo alertando sobre os perigos de ter esse tipo de decoração em casa. “Em 12 horas ela estava quase morta por causa do excesso de sal”, escreveu. Os veterinários responsáveis por Ruby ficaram surpresos com o diagnóstico, já que esse tipo de intoxicação é mais comum em cães.

Os veterinários alertam que lâmpadas de sal do Himalaia são viciantes para os animais, que não conseguem parar de lambê-la. A gata está se recuperando bem, com muitos líquidos e nutrientes que ajudem a eliminar o sódio presente em seu corpo.

Compartilhe o post com seus amigos!

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários