Esta é 'Harpia', uma águia tão grande que muitos pensam se tratar de uma pessoa fantasiada

“Que pássaro enorme!”. É assim que a maioria das pessoas reage ao ver uma harpia pela primeira vez, seja pessoalmente ou em uma foto.

A ave personifica o que há de mais majestoso e feroz na natureza. Seus olhos brilham como aço e avisam indiretamente: “É melhor você não mexer comigo pois eu como pessoas como você no café da manhã!”

As harpias (ou gavião-real) são visualmente tão peculiares e grandes que, de um certo ângulo, parece uma pessoa em um cosplay de um pássaro. De outro, parece um Pokemon. Embora que, por vezes, até se pareça com algo que poderia ter sido escondido em qualquer local da Área 51.

Essas aves de rapinas vive em ambientes tropicais, especialmente florestas

O pássaro gigante se tornou muito popular na internet devido ao seu majestoso visual. Um post sobre ele no Reddit recebeu quase 100 mil votos em um dia e 120 mil visualizações no Imgur em questão de poucas horas.

Algumas pessoas pensam que as águias harpias se parecem com pessoas vestindo uma fantasia de pássaro

As águias harpias parecem incrivelmente sérias e pouco amigáveis, o que nem sempre é o caso.

Elas são as maiores e mais poderosas aves de rapina encontradas nas florestas tropicais do mundo. Além disso, elas estão entre as maiores espécies de águias do planeta Terra. A envergadura da asa pode atingir 2,24 metros, mas pesam apenas entre 4 e 9 kg.

Um rosto muito peculiar

As águias-harpias vivem no alto das árvores das grandes florestas tropicais. Infelizmente, devido à destruição de seu habitat, está quase erradicada na América Central. Restam menos de 50 mil delas em todo o mundo. No Brasil, a harpia também é conhecida por outro nome (que pode ser ainda mais legal): o gavião-real.

Garras poderosas

De acordo com o FactZoo, as águias comem presas maiores do que as outras aves de rapina: “Macacos, porcos-espinhos, preguiças, quatis, pássaros, cobras, lagartos etc.”

Fonte: Bored Panda

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários