Cão doente que foi o último a ser adotado em pet shop se torna protagonista de casamento em SP

Diariamente, indo para o escritório, Cícero passava por um pet shop em Amparo, no interior paulista, e via um cachorrinho tristonho e cabisbaixo na vitrine, como se tivesse aceitado o fato de que jamais seria adotado.

Meses antes, quando o pet shop fora inaugurado, havia dezenas de cachorros disponíveis – um a um, eles foram sendo adotados e levados para o seu novo lar. Aquele cãozinho era um dos últimos a estar ali.

A cada dia que ele passava pelo local e o via todo recolhidinho num canto o deixava ainda mais sensibilizado. Uma voz interior dizia para Cícero adotá-lo.

“Diariamente passava por lá e via o pequeno lá no box já com essa carinha e uma vez e outra mandava uma foto pra Andreia [sua esposa]”, diz Cícero.

Cícero estava noivo de Andreia à época e eles já tinham em casa Olívia, uma simpática Dachshund (salsicha). Eles contam que naquele momento, adotar mais um cachorro era quase ‘uma loucura’.

Mas então… Lembra daquela voz interior de Cícero? Pois bem, ela falou mais alto!

Certo dia, ao passar em frente à loja, o dono do pet shop o abordou e falou em tom descompromissado ‘o cachorro é seu!’. Era a sua deixa: Cícero adotou o cãozinho e o levou para casa. Lá, ele e Andreia o batizaram de Jair – o Jairzinho.

Jair foi o último cão adotado do pet shop. Nos fins de semana, o lugar ficava fechado e sem iluminação… Imagina só, ele chegou a ficar no escuro, completamente sozinho em várias ocasiões, até a reabertura da loja na segunda-feira.

Tudo aquilo ficou para trás. Ao chegar em seu novo lar adotivo, o pequeno conheceu a irmã, que ficou muito feliz em recebê-lo!

“Quando levamos ele [para casa] nos esquecemos da carteirinha de vacinação e voltamos atrás para pegar. Neste momento descobrimos que o Jair nasceu no dia do nosso casamento: 11 de agosto!”, relata o casal, que identificou a data como um sinal de que havia feito a coisa certa ao adotá-lo.

O casamento aconteceria em algumas semanas e sua arte já estava pronta. No entanto, para incluir Jair na comemoração, aproveitando que seu aniversário seria no mesmo dia, eles pediram para refazer o banner, que ficou incrível. Olha só!

Dias após a adoção, Cícero e Andreia notaram que os pelos de Jairzinho estavam caindo com frequência, principalmente na região das pernas, rabo e pescoço. Ao mesmo tempo, ele coçava muito.

“Começamos a investigar e descobrimos que ele tinha uma doença genética, como uma sarna que era passada dos pais para os filhotes [sarna demodécica] e devido a isso ele não pode ter filhos, pois seria antiético”, relatam.

Durante o tratamento contra a sarna, descobriu-se também que Jairzinho sofria de um problema respiratório, fruto de seu tamanho franzino, que também foi enfrentado pelos veterinários.

“Esse raio X foi necessário após uma gripe que ele pegou… ficou mais de 40 dias gripado! São muitos os cuidados com ele até hoje, alguns veterinários nos dizem ‘que bom vocês acharam ele, pois ele seria descartado’”, diz Andreia.

O cachorrinho completou 2 anos no dia 11 de agosto, enquanto Cícero e Andreia um ano de casados!

A família está mais unida e amorosa do que nunca.

Fonte: Catioro Reflexivo

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários