Doguinho vovô de 17 anos é adotado e passa Natal em família pela primeira vez

Haroldinho tem 17 anos de idade e neste ano, pela primeira vez, teve a oportunidade de passar o Natal ao lado de sua família adotiva.

O cachorro vira-lata já está com a idade bastante avançada, mas conquistou o coração da família Fajardo, que mora em São Vicente, no litoral paulista.

Agora Haroldinho conta não somente com a companhia e os cuidados de seus tutores, mas também de outros três cachorros, que se tornaram seus irmãos.

Ele foi resgatado em 2017 pela ONG Codevida no Centro de Santos (SP), já coberto por feridas, com poucos pelos e quase sem conseguir andar.

De acordo com Leila Abreu, coordenadora do espaço, o animal estava muito debilitado, por isso, não tinha o perfil dos animais que costumam ser adotados. Ele ficou dois anos no local.

A nova família de Haroldinho perdeu Thor, um cão de 20 anos da raça bulldog que faleceu em abril deste ano. Dispostos a adotar uma vez mais, eles encontraram o pequeno graças a um post nas redes sociais.

"A falta que nosso cão deixou nos fez pensar na possibilidade de adotar outro animal que também já fosse mais velhinho, porque sabemos que é mais difícil desses serem adotados. Então liguei na Codevida e perguntei qual era o pet mais idoso e com menos chances de adoção da casa", conta a empresária Mônica Aparecida Farjado, de 38 anos.

"Foi amor à primeira vista. Ele foi uma vida que veio para acrescentar em todos os aspectos da nossa família. Ele é dócil e muito companheiro e se adaptou muito bem aqui", conta.

Devido à idade, Haroldinho possui problemas de pele e coluna, porém, isso não impediu a família de lhe dar uma nova oportunidade. "Conseguir proporcionar para ele um primeiro Natal em família no conforto de um lar, que ele tenha uma caminha para dormir e um conforto, acho que é a melhor parte. Ele ganhará até presentinho de Natal e se tornou a nova sensação da casa", diz.

"Acredito que quando se tem amor, tudo dá certo. Essa reciprocidade de amor que o Haroldinho nos dá é impressionante. Com certeza ele também foi um presente para nós e por isso quisemos fazer um ensaio com ele de Natal, guardando tudo isso para sempre nas nossas lembranças", relata Monica.

Para a empresária, adotar é fundamental. “Abram os corações para receber o amor dos cães, que são capazes até de curar nossas tristezas. Adotem e se permitam ser felizes por completo, transformando a vida desses cachorrinhos. Todos eles merecem ter um lar”, finaliza.

Compartilhe o post com seus amigos!

Fonte: Pais e Filhos

Comentários