Casal exemplar e amoroso adota cães de 3 patas ignorados em abrigo por preconceito

O fato deles terem apenas 3 patas não afeta em nada o amor que eles dão em troca de terem ganhado um lar

Uma história cheia de amor capaz de acolher o outro mesmo com suas dificuldades e limitações. Foi assim que começou o laço entre um casal e aqueles que seriam seus animais de estimação.

Breanna Sarver, que vive em Rising Sun (Maryland), nos EUA, juntamente com seu namorado, decidiu adotar um cãozinho que possuía uma condição especial – três patas.

A jovem, que inicialmente procurava por um Golden retriever sadio e saltitante, mudou de ideia quando se deparou com a foto da pequena Casey.

Foto: Breanna Sarver

Desde então, a nova integrante da casa se tornou muito apegada a sua dona, como conta Breanna, as duas eram inseparáveis.

Depois de um período e de terem se adaptado muito bem com Casey, o casal decidiu adotar outro cachorro na mesma situação física da sua ‘primogênita’.

Foto: Breanna Sarver

A recepção de Casey à Harper foi muito positiva e tudo estava indo bem, até que um mês depois, a cadela mais velha do casal sofreu um acidente, indo a óbito.

A situação, é claro, deixou o casal de coração partido e haviam decidido que não pegariam outro cachorro tão cedo.

Ao entrar em contato com a responsável pela adoção de Casey, para falar sobre o ocorrido, Breanna soube que a sua cadela havia ganhado um irmãozinho também com três patas e que procurava por um lar. Apenas quatro dias depois do incidente, o casal foi até seu novo mascote e adotou o irmãozinho de Casey.

Chance, como passou a se chamar, lembrava muito a irmã, ao ponto de os tutores acharem que se tratava de Casey. "Às vezes eu esqueço que eles não são o mesmo cachorro", disse Sarver.

Foto: Breanna Sarver

Até aí a história já é muito comovente né? Mas ela fica ainda melhor. Depois de superar a dor da perda de Casey, à medida que Chance crescia, o casal resolveu adotar o 3° cachorro, Oakley, que além de ter três patas, é cego.

Apesar da condição ‘atípica’ dos cachorros, o casal garante que eles levam uma vida normal e agitada. Evitam, no entanto, desgastar fisicamente os animais, que em exceção aos de quatro patas, podem cansar mais rapidamente.

Cuidam. ainda, da alimentação deles, para que não fiquem em sobrepeso e comprometam, dessa forma, as articulações.

Amigos, unidos e sadios. Que trio hein?

O entrosamento entre eles não poderia ser melhor, como conta a tutora, salientando que quando um deles fica triste, os outros ficam perto trocando apoio e carinho.

Foto: Breanna Sarver

Outro detalhe muito amado que Breanna destacou, foi o de que Chance era muito obcecado por varas e nunca compartilharia nenhuma de suas varas com Harper.

Mas quando Oakley chegava (o cãozinho cego), ele ficava lá e segurava a bengala para ele mastigar, para que não a perdesse. Esse trio mostrando direitinho como se deve cuidar do irmão. Que fofos!!

Ana Caroline Haubert

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo.
Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários