Abandonada por ser deficiente, filhote é adotada e ganha cadeira de rodas feita de lego por menino de 12 anos

Por
em Notícias

A pequena Gracie literalmente teve a vida transformada após ter passado por grandes dificuldades.

Nada que o amor não fosse capaz de resolver.

O começo da vida da pequena Gracie não foi nada fácil. A família a qual ela pertencia a abandonou quando soube que o animal sofria com uma rara deficiência, em que suas pernas não seriam desenvolvidas.

Os socorristas temiam pela vida da pequena e indefesa cadela, mas felizmente boas pessoas apareceram no caminho de Gracie.

A família Turley, donos do abrigo Mostly Mutts, de Kennesaw, Estados Unidos, que dedicam suas vidas à adotarem e ajudarem cães com necessidades especiais, adotaram Gracie.

Além de Gracie, a família já possuía outros dois animais com deficiências, que recepcionaram muito bem a nova irmã. As dificuldades eram despercebidas pelos três irmãos que pareciam apenas querer se divertir. Mas outra grata surpresa chegou até Gracie.

Um voluntário do abrigo de apenas 12 anos, Dylan Shervin, foi o responsável pela ideia e criação de uma cadeira de rodas para Gracie, feita de legos.

A dinâmica, permitiu que o utensílio pudesse ser ajustado conforme as necessidades da cadela. Com o passar do tempo, foram feitas novas adaptações na cadeira, todas projetadas por Dylan, o que permitiu uma vida muito mais autônoma para Gracie.

Quando completou um ano, a pequena ganhou uma cadeira de rodas personalizada específica para o seu caso, criada por Joey Paws e Ruff Rollin Chairs. A nova aquisição permite que o peito e a coluna de Gracie estejam protegidos de lesões.

A evolução da história de Gracie é linda e comovente e só foi possível graças a sucessão de atos de pessoas bondosas e fortes que se prontificaram em ajudá-la.

Veja como Gracie se locomove graças à sua cadeira de rodas:

Compartilhe esse post com seus amigos!

Receba nossas notícias no Whastapp! Entrar no grupo

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com