Homem falece durante caminhada em floresta e cadela permanece ao seu lado até chegada da polícia

A cadela Daisy não sabia quando iria aparecer alguém para ajudar e permaneceu ao lado do seu dono o tempo todo.

Uma história um tanto quanto surpreendente. Um homem de 64 anos acabou morrendo ao passear com a sua cadela de estimação Daisy, em um local distante e bastante arborizado, numa área Eatonville, no Condado de Pierce, em Washington, nos Estados Unidos.

O homem desaparecido costumava fazer caminhadas com seu cachorro, mas não deixou um bilhete para onde estava indo e não voltou para casa depois que escureceu. A esposa do homem relatou ter encontrado pesquisas recentes na internet pelo marido para fazer geocaching na área de Evans Creek.

Foto: Pierce County Sheriffs Department/Facebook
Foto: Pierce County Sheriffs Department/Facebook
Foto: Pierce County Sheriffs Department/Facebook
Foto: Pierce County Sheriffs Department/Facebook

A mulher do homem avisou a polícia estado de Washington sobre o seu desaparecimento, que rapidamente iniciou as buscas.

Ao chegarem no local, ouviram os latidos de Daisy, cujo som, guiou os policiais até o corpo do homem, onde o animal havia permanecido do lado o tempo todo. Suspeita-se que durante a caminhada o homem tenha caído, de forma que tenha sofrido ferimentos fatais.

A polícia local divulgou um comunicado em que demonstraram total apreço pela atitude da cadela:

"Sem o latido de sua leal companheira, Daisy, nunca teríamos localizado o homem desaparecido. Foi fantástico".

O caso ocorreu em abril de 2019 e ganhou destaque em noticiários internacionais.

Ana Caroline Haubert

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários