Sob quarentena, jovem coloca dinheiro e bilhete em coleira de cão chihuahua e o envia para supermercado - e deu certo!

Com as medidas de quarentena e isolamento social decretados por diversos estados mexicanos, a população só pode sair para realizar atividades essenciais ou comprar medicamentos.

Tais regras obrigaram as pessoas a serem um pouco mais criativas para comprar mantimentos e suprimentos ‘não tão necessários’ assim.

No México, um homem chamado Antonio Muñoz se inspirou em um meme viral para conseguir comprar algo que muito desejava: um pacote de salgadinhos, daqueles que comíamos na época da escola.

Foto: Antonio Muñoz/ Facebook
Foto: Antonio Muñoz/ Facebook

No terceiro dia de quarentena, ele convocou seu cãozinho de estimação, um chihuahua chamado Chokis, para ir até o mercado comprar o salgadinho.

Para isso, Antonio colocou uma nota de 20 pesos (cerca de R$ 4,36) na coleira do cão, acompanhada de uma mensagem dizendo: ‘Olá Sr. Lojista. Por favor, venda para meu cachorro um pacote de Cheetos, do tipo laranja, e não do vermelho, são muito picantes. Ele tem 20 pesos na coleira. AVISO: Ele vai morder você se não for tratado corretamente. Assinado: Seu vizinho da frente”.

Foto: Antonio Muñoz/ Facebook
Foto: Antonio Muñoz/ Facebook

A “Operação Cheetos” foi um sucesso!

Chokis retornou para casa com o pacote, para o deleite de seu dono. De quebra, seu relato, publicado nas redes sociais, viralizou entre os usuários, que comentaram sua criatividade e, sobretudo, a inteligência de seu cãozinho.

Foto: Antonio Muñoz/ Facebook
Foto: Antonio Muñoz/ Facebook

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários