Esposa de William Bonner perde a sua cadela de estimação e relembra momentos juntas em post no Instagram

Natasha Dantas lamenta a morte da sua companheira com fotos na rede social.

Só quem já perdeu um animal de estimação sabe a dor desse momento e a falta que eles fazem. Quem passou por essa perda recentemente foi a fisioterapeuta Natasha Dantas, esposa do apresentador William Bonner.

Natasha perdeu a sua cadela Soso, da raça akira de origem japonesa, e lamenta com uma legenda emotiva a sua passagem em um post no Instagram, relembrando alguns episódios de sensibilidade e demonstração de afeto da Soso.

Confira o relato na íntegra:

“Hoje, abri uma exceção e voltei aqui. Só hoje. Talvez porque a casa ficou mais silenciosa nesta tarde. A saudade dela gritou no meu coração. Deu vontade de deixar registrado meu amor e a saudade que esse ser iluminado já deixou, não só na minha vida como na de todos que a tiveram por perto. Minha Soso partiu. Virou estrelinha. Nossa história foi linda. De parceria. De amor. De cumplicidade. A primeira cachorrinha que fez minha mãe se apaixonar. A primeira que ela, minha mãe, cuidou. E que depois, quando estava doente, recebeu em troca todo amor e atenção que um cão poderia dar. Foi parceira dela até o fim. Sentiu a ausência da dona. Soso precisou de um tempo pra poder voltar a entrar no quarto da minha mãe. 1 mês pra ser exata. E quando entrou, se permitiu ficar por lá, sozinha, por 3 min. (Sim, eu vendo a cena, contei no relógio) Saiu do quarto e se deitou na porta. Como se dissesse: ‘Sinto tanto sua falta’. Daquele dia em diante éramos nós duas. Mais unidas do que nunca. Não gostava de muita gente em casa. Latia pra todos – e que latido ela tinha – mas logo depois já estava pedindo carinho pra quem antes ela havia assustado. Antes éramos duas, de repente éramos muitos. Ela criou um novo lar para todos nós. Ela foi tão especial que teve dois lares (abri uma guarda compartilhada rs). Soso foi amor por onde passou. Nossa, como ela distribuiu amor. Soso foi presente de Deus na minha vida. Tenho certeza que foi! Há quem diga que Soso era ‘humana’. Um ‘serumaninho’. E sabe de uma coisa? Eu acredito que era. Soso é luz, sempre será”, concluiu Natasha.

É realmente muito triste, né? Muita força nesse momento para ela!

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com