Homem vai a abrigo e escolhe cão idoso e doente para adotar e comove funcionários

O homem já chegou ao abrigo com um objetivo: adotar um cão velho, dando assim, a oportunidade de oferecer uma vida feliz a quem é tão rejeitado nos centros de animais.

Como os humanos, os animais também passam por momentos difíceis e tudo o que precisam, é de uma segunda chance. Felizmente, o cão Jack de 13 anos, com doenças e limitações devido a sua idade avançada, foi adotado justamente por conta das suas fragilidades.

A exigência em querer adotar um cão idoso partiu do homem Wayne Mull ao visitar um abrigo de animais na Pensilvânia. O pedido incomum, surpreendeu aos funcionários que ficaram contentes com a atitude, e sabiam exatamente quem indicar para Wayne. O antigo dono do doce Jack havia falecido há pouco tempo, por isso ele foi levado ao abrigo.

Foto: Reprodução /  WNEP-TV
Foto: Reprodução / WNEP-TV

A conexão entre os dois aconteceu de maneira imediata. Ao ver Wayne, Jack sentiu confiança no homem e não demorou para que subisse no colo do novo dono. Enquanto isso, a equipe preparava os papéis da adoção.

“Nós o apresentamos o Jack, uma mistura de dachshund de 13 anos com doença dentária, sopro no coração e caroços típicos de um homem velho. Ele disse: “Ele é perfeito, eu vou levá-lo. Que veterinário você recomenda que eu o leve também?”, relataram os funcionários do abrigo.

Foto: Facebook / Pennsylvania SPCA Danville Center
Foto: Facebook / Pennsylvania SPCA Danville Center

Que atitude maravilhosa, não é? Ajudar, dar oportunidades e mostrar como a vida pode ser boa para todos, independente das dificuldades enfrentadas.

“É disso que trata o bem-estar animal. Apaixonar-se, dar segundas chances a quem mais precisa e encontrar os heróis na humanidade. Caudas felizes, Jack! Não poderíamos estar mais felizes por você!”, publicou o abrigo em uma rede social.

Foto: Facebook / Pennsylvania SPCA Danville Center
Foto: Facebook / Pennsylvania SPCA Danville Center

Ficamos igualmente felizes pela ação que certamente não beneficiará apenas Jack, mas também o seu dono, Wayne. Que mais pessoas possam se inspirar nessa história e contribuir com a adoção de animais idosos.

Ana Caroline Haubert

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários