'A pior parte é quando tenho que chorar no banheiro': Veterinária compartilha desabafo sobre desafios da profissão

Muitos de nós quando éramos mais novos, sonhávamos em ser veterinários. Afinal de contas, passar o dia cuidando de animais felpudos e ajudando-os a ficarem curados parecia uma ideia realmente maravilhosa.

No entanto, nem tudo são flores: a profissão exige, de cara, bastante estudo e dedicação. Exercê-la é outro desafio: cansativo, estressante e bastante exigente. Ser um médico veterinário se trata, antes de mais nada, de lidar - e salvar - vidas animais.

A veterinária Tracy Lee Richardson, que vive em Kalada, em Ohio (EUA), sabe bem disso. Ela acrescenta que, como profissional, nem sempre recebe um tratamento minimamente respeitoso dos donos de animais de estimação.

“Por favor, seja legal com seus veterinários. Nossos trabalhos são muito mais difíceis do que você pensa”, disse Tracy em um post feito por ela em seu Facebook no dia 8 de agosto deste ano.

Tracy decidiu se manifestar desabafando sobre o quão difícil é o dia a dia de quem se dedica a garantir a saúde dos animais.

“Normalmente posto fotos de cachorros. Muitos de vocês vão pensar que tudo em meu trabalho são borboletas e arco-íris. Mas a verdade é que é o oposto", afirmou.

Ela continuou: “Uma das partes mais difíceis de ser veterinário é ter que sacrificar filhotes quando sua saúde está tão comprometida que já é tarde demais. É uma decisão muito difícil que se toma junto com a família do animal e às vezes é a única opção para ajudar nossos leais bichinhos a partir sem tanto sofrimento”.

É um momento muito doloroso que também afeta os veterinários, mas eles tentam fazer o melhor para dar o apoio tão necessário à família.

“Hoje tive que me despedir de um cachorro muito doente. Durante o processo, seus familiares cantaram uma música que haviam escrito para o cachorro. Sentei-me com eles e chorei sem parar”, disse Tracy.

A maioria dos veterinários consegue fazer uma conexão pessoal com cada um dos filhotes que vão ao consultório. Dizer adeus pode ser especialmente difícil porque eles tentaram de tudo e se sentem responsáveis ​​por não conseguir salvar suas vidas. Tracy aprendeu a se permitir sentir emoções, mas só consegue fazer isso por alguns minutos.

"Tive que finalmente sair da sala, terminar de chorar no banheiro e então me recompor para ir para a próxima sala de exames. Eu estava orando para que meu próximo paciente fosse um cachorrinho para alegrar meu espírito, mas era outro cão doente à beira da eutanásia também" - relembra Tracy.

Muitas pessoas não têm consciência de como é difícil lidar com a partida de um animal. O trabalho de um veterinário é tão difícil que as estatísticas dizem que é muito mais provável que ele tenha tendências suicidas ou depressivas em comparação com o restante da população.

"Amo meu trabalho. Não me arrependo de me tornar veterinária, mas há dias que são uma merd*”, completou a veterinária.

A publicação de Tracy viralizou no Facebook nas últimas semanas, obtendo mais de 57 mil reações e milhares de comentários.

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.