Relação entre cão samoieda sorridente e gato persa mal-humorado diverte a web

Eles não precisam falar, as carinhas e expressões falam por eles!

Por
em Notícias

Nem sempre os opostos se atraem, mas nesse caso eles se atraíram e se complementaram de uma maneira adorável. Temos como protagonistas dessa história o gato persa Casper e o cão samoieda Romeo que vivem em Glenorchy, Nova Zelândia.

Os cachorros, como bem sabemos, são sociáveis por natureza e ficam ainda melhores quando recebem um bom adestramento, já os gatos não são tão simpáticos assim, mas está tudo bem, afinal, cada um possui a sua própria personalidade, né?

Quando a família adotou Romeo, eles sabiam que seria necessário um tempo de adaptação para que Casper, o mascote mais velho da casa, estabelecesse uma relação com o novo irmão.

Embora os donos tivessem um pouco de receio sobre a aproximação, eles não poderiam ter feito uma escolha melhor em ter unido esses dois. Inicialmente, Casper até tentou manter uma certa distância e fez algumas caretas para o seu irmão, mas não demorou para que eles se aproximassem de uma maneira bastante afetuosa.

Aliás, uma das maneiras deles manterem esse afeto todo é tirando muitas fotos juntos. Você vai perceber que Casper não sorri para todas, mas não tem problema: o Romeo assume essa parte com maestria.

Confira essa sessão de fotos muito fofa - e divertida - dessa duplinha:

1.

2.

3.

4.

5.

6.

7.

8.

9.

10.

Persas são mal-humorados?

A carinha, como pudemos ver, não é a das mais simpáticas, mas isso não tem nada a ver com a sua personalidade, que é, inclusive, muito doce. Eles costumam ser mais quietinhos, caseiros, mas são muito carinhosos. A iniciativa de aproximação, no entanto, deve partir deles, o que não é muito diferente dos outros gatos, né?

Os persas são afetuosos, mas exigentes. Eles reservam sua atenção para os membros da família e aqueles poucos convidados em quem sentem que podem confiar. Ambientes barulhentos não são da preferência do persa, eles são calmos e preferem um lar sereno com poucas mudanças no dia a dia.

É improvável que esse gato trepe pelas cortinas, pule na bancada da cozinha ou se empoleire em cima da geladeira. Ele fica perfeitamente feliz em enfeitar uma cadeira, sofá ou cama até que você esteja livre para admirá-lo e dar-lhe a atenção que ele recebe de bom grado, mas pouco exige.

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com