Gatinho tímido encontra confiança em outro gato após ser resgatado

Por
em Notícias

Nas ruas de Montreal, Canadá, um gatinho foi visto vagando sem rumo e em péssimas condições. Uma família o avistou e não teve dúvida na hora de ajudá-lo - rapidamente ligaram para o abrigo Chatons Orphelins Montréal, onde Stefany atendeu e se prontificou a salvar o pobre gato.

Stefany pegou o felino e o levou até a sede do abrigo, mas ele estava muito tímido e com medo.

Celine Crom, que faz parte da Chatons Orphelins Montréal, disse ao portal Love Meow:

“Seu nome é Alvin. Ele estava coberto de pulgas e ácaros na orelha e sua barriga estava cheia de vermes."

Durante toda a consulta veterinária para verificar se tudo corria bem, ele se mostrou bastante nervoso e desconfiado, e o mesmo comportamento continuou durante um bom tempo em sua nova moradia.

Os funcionários do lugar sempre lhe davam muito carinho e atenção, tentando fazê-lo se sentir mais confortável.

“Ele era muito tímido, mas se o abraçássemos ele começava a ronronar. Ele foi o único sobrevivente de sua ninhada. Tudo que queria era estar protegido e calmo”, disse Celine.

Algumas semanas depois, uma tímida gatinha, Pippa, foi encontrada fora da casa de Celine. A dona do lugar ouviu o grito da felina e resolveu deixar comida com o intuito de ganhar sua confiança, e depois de três dias conseguiu levá-la para dentro de casa.

Ela estava em más condições, estava com fome e sofria de uma grave infecção respiratória superior.

Uma vez no local, Pippa recebeu atenção veterinária. Foi iniciado um tratamento para os olhos e demais problemas e, em pouco tempo, graças aos cuidados recebidos, a gatinha estava de pé e começando a mostrar sua personalidade.

Pippa descobriu rapidamente sua personalidade lúdica, gostava muito de ser acariciada. Seus olhos enormes e marcantes sempre pareciam mostrar alguma admiração.

“Assim que ela conheceu os humanos, ela se tornou mais brincalhona e começou a aprender a confiar. Não demorou muito para ela se aconchegar em nós e ronronar”, disse Celine, orgulhosa.

Quando Alvin conheceu Pippa tudo foi perfeito. A gatinha imediatamente se aproximou dele e o acompanhou a cada passo que ele dava, ele começou a perder a timidez e sempre podia ser vista com Pippa brincando, comendo ou tirando uma soneca. Ele se tornou um gatinho corajoso desde que a conheceu.

“Alvin gosta de ir aonde Pippa vai e gosta de provocá-la para que brinque com ele. Eles têm um grande vínculo e muitas vezes se pegam dormindo juntos.” reforçou a mulher.

Celine garante:

“Eles são muito próximos, embora não sejam da mesma ninhada. Ambos os gatinhos foram resgatados da vida ao ar livre e agora procuram um lar para sempre juntos”.

Se quiser saber mais sobre o trabalho desenvolvido pela Chatons Orphelins Montréal pode visitar a sua página no Facebook.

Apresentando um gato para outro gato

A tarefa de apresentar um novo membro da família para o gato, não é fácil. Eles acreditam que o 'território' pertence somente a eles e nenhum outro animal é bem vindo na sua área, quanto mais compartilhar da mesma comida e amor recebido.

Se você estiver trazendo um novo gato para sua casa, seja paciente. A introdução deve ser gradual, após a introdução inicial, pode levar muito tempo para um relacionamento acontecer. A maioria dos gatos leva de 8 a 12 meses para desenvolver uma amizade com um novo gato. Embora alguns gatos certamente se tornem amigos íntimos, como Alvin e Pippa, outros nunca o fazem.

Muitos gatos que não se tornam amigos aprendem a evitar uns aos outros, ou suportar a presença um do outro. O que definirá se o seu gato aceitará um novo amigo é a sua personalidade e nada melhor que você que conhece seu bichano saber se é uma boa ideia ou não apresentar um novo gato.

Receba nossas notícias no Whastapp! Entrar no grupo

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.