Mesmo após três anos, guaxinim sempre volta para visitar mulher que o cuidou

Por
em Mundo Animal

Há três anos, o guaxinim chamado Little Hands foi resgatado pela Nikki Robinson, que trabalha na reabilitação da vida selvagem. O animal foi acolhido por Linda, mãe de Nikki. E desde que voltou para a vida selvagem, nunca deixou de visitar Linda para receber um cafuné.

Os animais sabem ser gratos àqueles que os oferecem amor e proteção. E o guaxinim Little Hands, grato por ter sido socorrido ainda filhote, não deixou de visitar sua salvadora, mesmo depois de ter sido liberto no seu habitat natural.

O pequeno foi encontrado por Nikki perambulando sozinho na beira da estrada em uma época que todos os resgates da vida selvagem estavam com a lotação máxima, não tendo suporte para receber mais um animalzinho.

“Quando você pergunta o que deve fazer com [um guaxinim órfão], eles dizem: 'Deixe-o em paz e deixe a natureza seguir seu curso' ou 'Você pode levá-lo a um veterinário e eles terão que aplicá-lo à eutanásia'” - disse Nikki Robinson ao The Dodo. “Isso partiu meu coração. Eu não poderia deixar isso acontecer!”.

Nikki, sensibilizada com a situação do filhote, decidiu acolhe-lo e levá-lo para casa. Mas, como trabalhava em tempo integral, sua mãe aposentada, Linda, ficaria responsável em cuidá-lo, alimentando-o cinco vezes por dia. A mulher ficou relutante com a tarefa, já que queria cuidar de netos e não de animais.

A alegria de Linda de ser avó demoraria, segundo Nikki. Então ser 'mãe' de um guaxinim era a solução. E assim se fez. E não demorou para ela se apaixonar pelo filhotinho.

“A primeira vez que ela o alimentou com mamadeira e ele olhou para ela, ela meio que derreteu”, disse Robinson. “Ela o tratou com muito carinho desde o início porque eles gostam muito de ser tocados. Então ela criou um vínculo com ele, mesmo sabendo que ele voltaria para a natureza em algum momento".

Passado meses, o pequeno já havia se desenvolvido e estava forte o suficiente para voltar à natureza e se alimentar por conta própria. Mesmo tendo a permissão de partir, o guaxinim não se desligou totalmente de sua cuidadora.

“Mas o Little Hands permaneceu amigo de toda a família e ele foi muito gentil e doce conosco”.

Há três anos, o novo hábito é esperar Linda sentar-se em uma cadeira de balanço para acompanhá-la em seu colo e receber muito carinho e cafuné. Que folga!

Confira um desses momentos de carinho:

Linda desenvolveu um grande amor em ajudar esses animais que depois da partida de Little Hands, adotou outras dezenas deles para ajudá-los com a reabilitação e depois serem devolvidos à natureza.

“Todos os dias, ela fica do lado de fora e espera, e mesmo quando eles são adultos, eles vão visitá-la e ela simplesmente se ilumina e ela simplesmente adora”, disse Nikki. “Eles também a amam - ela é apenas a mamãe.”

Linda tem dado a oportunidade de animais se reabilitarem e voltarem a viver suas vidas na natureza. Talvez o que ela faça não mude o mundo, mas com certeza influencia quem lê a sua história. Ajudar faz bem ao próximo, mas principalmente a si.

Vídeo: Cachorro pug sem pelos passa por transformação INCRÍVEL

Receba nossas notícias no WhatsApp!Entrar no grupo