Cadela filhote que seria sacrificada é salva por fundadora de ONG

Penelope tinha apenas três semanas de vida quando teve que passar por uma transfusão de sangue que salvou sua vida

Por
em Aqueça o coração

Elli Smith, fundadora do Sky Sanctuary Rescue, uma organização que resgata animais de rua no Arizona, nos Estados Unidos, estava resgatando um cachorro quando percebeu que outro filhote precisava de sua ajuda. Ele estava quase sem vida nos braços de uma senhora.

“Olhei no estacionamento e vi uma senhora correndo com um animal nas mãos que estava completamente mole e imóvel. Eu estava tipo, 'oh não, eu sei como a Humane Society é, eu sei que este animal vai ser sacrificado”, disse Elli ao site The Dodo.

Sem pensar duas vezes, Elli seguiu a mulher até o saguão, pois a viu pedindo ajuda à recepção. Então, a fundadora se apresentou e entregou à senhora seu cartão esperando que ela lhe ligasse.

“Eu entrei no carro e pensei: 'por favor, me ligue, por favor, me ligue' eu sabia que aquele cachorrinho não sobreviveria”, contou Elli.

Pouco tempo depois, recebeu uma ligação desconhecida, ao atender descobriu que era a senhora que encontrou no estacionamento querendo ajuda.

“Em 10 minutos, ela me ligou e disse que queriam sacrificar o cachorrinho, e eu disse: 'não'. Traga-o ao meu veterinário agora mesmo”, observou a fundadora do Sky Sanctuary Rescue.

A cachorrinha chamada Penelope tinha apenas 3 semanas de vida, estava coberta de carrapatos e precisava urgentemente de uma transfusão de sangue. Por obra do destino, ao chegar na clínica veterinária, o veterinário já tinha o candidato para a doação.

Murphy, era o cão de estimação da esposa do veterinário. Muito brincalhão e curioso, ao ver a cachorrinha naquele estado, o cão ficou cheirando-a. “Ele estava muito, muito curioso. Tipo: o que é essa coisinha?”, ressaltou Elli.

Com algumas seringas de sangue de Murphy, Penelope começou a recuperar sua força e assim voltou à vida. “Você podia literalmente ver a cor voltando para suas gengivas e a vida em seus olhos”, escreveu Smith no Instagram.

Quando Penelope já estava fora de perigo, Rachel Hendricks, a gerente da clínica Pet Urgent Care levou o cachorrinho para casa, a fim de mantê-lo bem alimentado. Enquanto isso, Elli trabalhou para encontrar e libertar a mãe de Penelope.

Ao encontrar a mãe da cachorrinha, descobriu que Petúnia e outros cães 25 viviam do lado de fora em um cercado. Ela e os demais cachorros passaram suas vidas expostas aos diferentes climas da região.

Elli convenceu o dono da propriedade a permitir que ela levasse Petúnia e demais cães doentes para tratá-los. Depois de tratar a cachorra contra ou carrapatos, mãe e filha puderam se reunir novamente. E é claro que Penelope não resistiu ao gostoso leite da mamãe.

A fundadora da instituição de resgate destacou na entrevista que as duas ficarão em seu lar adotivo até Penelope completar 9 a 10 semanas de idade. Então, será a hora das duas encontrarem uma nova e definitiva família.

Ela finaliza dizendo que espera encontrar alguém que dê às duas todo o cuidado, amor e atenção que merecem depois de passar por tantas dificuldades.

Assista também:

Cães e gatos agindo como humanos

Uma jornalista quase formada de 21 anos, completamente apaixonada por futebol e animais. É daquelas pessoas que não podem ver um cachorro ou gato na rua que já quer fazer carinho... Do tipo curiosa, gosta de contar boas histórias e aquecer o coração de seus leitores. Um pouco indecisa para os títulos das matérias, confesso, mas dedicada ao ponto de procurar sempre escolher as melhores palavras. Prazer, sou Letícia Michele Schneider, atualmente moradora de Passo Fundo (RS), tenho o sonho de deixar o mundo um pouquinho melhor e quem sabe um dia estar à beira do gramado entrevistando os jogadores da dupla Grenal.