Cachorro se fere em trilha com sua família e é resgatado por escoteiro mirim

Por
em Aqueça o coração

David King, um menino escoteiro do Havaí, de 12 anos, ajudou a resgatar um casal e seu cachorro que haviam se perdido na trilha Waimano em 29 de agosto.

JD, Aimee e o canino estavam fazendo a trilha quando pegaram um caminho errado acreditando que iriam diminuir o tamanho do percurso e, então, acabaram se perdendo.

No escuro, não tinham mais água, nem comida e o celular deles já não possuía mais bateria para pedirem resgate.

Para piorar a situação, Smokey, o cão do casal, ficou ferido e não conseguia mais andar direito.

Os três esperaram por cerca de 12 horas até que finalmente encontraram David King e sua mãe Christine.

"Perguntamos 'vocês precisam de ajuda?' Eles disseram 'sim', eles nos mostraram que as patas do cachorro tinham alguns cortes. Então, doía quando o cachorro andava", disse David em entrevista ao KNON2.

A trilha Waimano acima de Pearl City possui diferentes rotas. Assim, JD e Aimee acabaram se perdendo a 11 quilômetros de profundidade.

Já David e sua mãe haviam caminhado quase quatro quilômetros dos 24 que iriam percorrer para o jovem escoteiro ganhar uma medalha de mérito por caminhar com sua tropa 311 de St. John Vianney em Kailua.

JD havia tentado carregar Smokey nas costas, mas o pit bull era muito pesado, foi quando David teve que colocar seu treinamento em prática.

“Nós construímos uma maca usando um grande galho de árvore que quebramos ao meio e usamos os buracos de nossas camisas para passar as varas”, explicou David.

Foi uma técnica que aprendeu com seu irmão mais velho, no entanto, sua mãe achou que não funcionaria.

“Foi ideia dele fazer a maca. Não achamos que funcionaria porque não achávamos que o cachorro iria subir na maca. Smokey ficou muito feliz em subir na maca. Acabamos de carregá-lo”, observou Christine.

Não havia sinal de celular no mato, então todos eles se revezaram carregando Smokey pelos cinco quilômetros até o início da trilha.

“Foi muito difícil, mas fizemos rodízio. Às vezes fazíamos quatro pessoas, duas de cada lado, duas pessoas - minha mãe e o homem - e então o cachorro descia e passeava, o que era muito útil e nos deixava relaxar”, disse David.

No final todos conseguiram sair da trilha seguros e o cão recebeu todos os cuidados necessários.

David finalizou dizendo que é bom sempre estar preparado quando for fazer uma trilha com bastante comida, água e principalmente conhecer o caminho.

A matéria da KHON2 pode ser assistida clicando aqui.

Veja também:

RETROSPECTIVA 2021 - Histórias de pets que marcaram o ano

Uma jornalista quase formada de 21 anos, completamente apaixonada por futebol e animais. É daquelas pessoas que não podem ver um cachorro ou gato na rua que já quer fazer carinho... Do tipo curiosa, gosta de contar boas histórias e aquecer o coração de seus leitores. Um pouco indecisa para os títulos das matérias, confesso, mas dedicada ao ponto de procurar sempre escolher as melhores palavras. Prazer, sou Letícia Michele Schneider, atualmente moradora de Passo Fundo (RS), tenho o sonho de deixar o mundo um pouquinho melhor e quem sabe um dia estar à beira do gramado entrevistando os jogadores da dupla Grenal.