Casal que não gostava de gatos adota dois e conta como é viver com felinos

Por
em Gatos

O casal Vicente e Lis, que moram em Goiânia, Goiás, não consideravam adotar um gato, pois tinham Princesa, uma cachorrinha. Mas a vida dá voltas e hoje não tem só um e, sim, dois felinos; são eles: Félix e Ikki de Fênix. O trio é o xodó da família! Em entrevista ao Amo Meu Pet, Vicente contou como aconteceu a adoção da dupla e também a relação deles com Princesa.

Vicente e Lis nunca foram apegados a gatos, aliás não gostavam de felinos. Até que certa vez, em um dia chuvoso, encontraram em uma baixada no meio da avenida movimentada um gato amarelo todo ensopado. Compadecidos com a cena, pararam o carro para resgatá-lo. Só que antes Vicente cogitou a ideia de ignorar o animal.

"A minha primeira reação foi mandar ela [esposa] deixá-lo [gato] do outro lado da rua, afinal não queria gato e não tínhamos espaço", relembrou.

Lis não concordando com a ideia, colocou o pobrezinho em uma caixa de sapato e o levou para casa. Depois, junto do marido, o levaram até um médico veterinário para tratar um problema no olho. Bom, os cuidados estavam sendo tomados, mas nunca houve a intenção de ficarem com o animal.

"Para colocá-lo para a adoção, recomendaram que fizéssemos a castração e assim o tempo foi passando, a castração foi feita e quem disse que queríamos desfazer dele?", contou.

O gatinho roubou o coração de Lis, se tornou o rei da casa e foi nomeado Félix. O primeiro golpe de lar temporário para permanente aconteceu!

Passou-se um ano e apareceu na porta do casal um gatinho todo machucado. Então o resgataram, castraram e colocaram para adoção, só que dessa vez o coração conquistado foi o de Vicente. Ele se apaixonou pelo felino e o nomeou Ikki de Fênix, como o cavaleiro do Zodíaco, a ave alaranjada. Eis o segundo golpe de lar temporário para permanente!

"Resumindo, pra quem não gostava de gatos, temos dois amarelos e mais uma cadelinha que convive com eles e é a irmã mais velha". Vicente completa: "Se tivéssemos mais espaço com certeza teríamos mais, só falta agora arranjar reino para o tanto de rei e rainha que tem aqui em casa".

Princesa, que foi adotada de um abrigo depois de três rejeições, se adaptou muito bem com os novos irmãos. Isso porque Vicente e Lis tiveram paciência e respeitaram o tempo de socialização deles.

"A reação dela com os gatos foi e é a melhor possível, não estranham, dormem juntos (ela dorme com o Félix) e vive brincando de correr atrás do Ikki de Fênix".

A organização nacional Best Friends Animal Society de Nova Iorque (EUA) indica cautela durante a apresentação de cão e gato. Eles orientam a sempre ter duas pessoas presentes durante a interação, cada uma para intervir os dois animais caso necessário.

"Uma coisa que descobrimos é que não existe inimizade entre cão e gato. Uma boa criação faz toda a diferença", finalizou Vicente.

Que essa família seja muito feliz!

Veja também este vídeo:

6 cachorros que já aprontaram em creches para pets