Cachorrinha percorre 200 km à procura dos donos que a rejeitaram

Alla Morozova, proprietária de um canil em Novosibirsk, na Sibéria (Rússia), vendeu Manora (também conhecida como Maru), de 5 meses de idade, a um casal de Krasnoyarsk.

Após seis meses, Alla recebeu um telefonema da dona de Maru, pedindo para devolvê-la, uma vez que a cachorrinha ‘era muito alérgica’.

“Eu nunca desisto de meus cães, e quando um é comprado, é estipulado com os donos que me devem informar caso eles não os queiram mais”, disse Alla.

Ao final, um acordo entre as partes foi feito. A cadela seria enviada para Novosibirsk de comboio e um responsável iria acompanhar o percurso do animal.

Entretanto, de acordo com o portal The Siberian Times, quando o comboio fez uma pequena paragem perto de Achinsk, Maru “teve um ataque de pânico” e acabou por escapar.

A responsável pelo animal ainda o chamou mas, assustado com o barulho do comboio, não regressou.

Os donos foram avisados e decidiram ligar a Alla, que propôs que fossem até Achinsk, mas o casal se recusou a procurar o animal.

“Isso me enfureceu. Os donos não estavam nada preocupados”, afirmou a dona do canil.

Maru foi encontrada por voluntários ao fim de dois dias e meio, numa área industrial de Krasnoyarsk, cidade onde mora o casal que a abandonou, chorando e com as patas e focinho quebrados, depois de percorrer mais de 200 quilómetros.

A hipótese é que ela tenha usado seu senso de direção para alcançar os antigos donos, uma vez que a raça mastim inglês se caracteriza por ser ‘guardiã da família’ – ou seja, gosta de ‘cuidar’ de seus tutores.

“Ela não foi para Novosibirsk, mas sim para onde vivia. É surpreendente que tenha seguido o caminho certo, porque geograficamente não tinha pontos de referência. Na cidade onde vivia costumava andar apenas pelo quintal”, revelou Alla, que com a ajuda de uma amiga, Alyona Makhova, recuperou Maru, que foi depois reunida com os pais.

O animal está agora se recuperando deste episódio, está em tratamento veterinário e reencontrou seus progenitores no canil.

Fonte: Siberian Times

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários