Após salvar vida de dona, cão se recusa a deixar seu quarto de hospital: 'ela só queria ficar perto de mim'

Quando Shauna Darcy trouxe Ruby para sua casa, o plano era que ela atuasse como uma cachorra de serviço para ajudá-la em suas recorrentes crises de ansiedade, depressão e agorafobia.

Ruby sempre foi uma cachorra de serviço incrível e companheira desde o início – e rapidamente mostrou a Darcy o quão longe ela iria para lhe ajudar.

“Enquanto ela estava treinando para ser uma cachorra de serviço, notei que ela começou a perceber mudanças no meu batimento cardíaco e agia de forma engraçada – por exemplo, me cutucava, tentava chamar minha atenção, se colocava em cima de mim, etc.,” disse Darcy ao portal The Dodo.

Tendo as reações de Ruby em mente, Darcy foi ao médico e descobriu que ela tinha problemas de saúde que ela não conhecia, incluindo uma rara doença cardíaca chamada síndrome vascular de Ehlers-Danlos. Ruby sabia que algo estava errado mesmo antes de Darcy, e seu foco principal como cachorra de serviço rapidamente mudou para os problemas cardíacos de Darcy.

Todos os dias, Ruby ajuda sua mãe a monitorar o batimento cardíaco e a pressão arterial, ajudando-a durante ataques de pânico e pegando medicamentos de emergência. Ela também carrega mantimentos, pega itens descartados e pega em coisas que sua mãe não consegue alcançar.

“Quando eu desmaio, ela fica em cima de mim e aplica toda uma pressão sob medida para que eu acorde. Ao mesmo tempo, fica me lambendo para acelerar o processo”, brinca Darcy.

Ruby está presente para sua mãe todos os dias – mesmo quando ela não percebe que precisa dela.

Na semana passada, quando Ruby começou a alertar sua mãe de que havia algo errado, ela não fazia ideia do que se passava. Nesse momento, Darcy estava se sentindo bem, mas decidiu confiar em Ruby e chamar uma ambulância mesmo assim, apenas por precaução.

“Acontece que meu coração estava entrando em fibrilação atrial”, disse Darcy. “Quando os paramédicos chegaram, eu estava com dor e quase inconsciente.”

Quando os paramédicos levaram Darcy ao hospital, ela percebeu que Ruby havia salvado sua vida naquele dia.

Enquanto Darcy estava no hospital e os médicos trabalhavam para mantê-la estável novamente, Ruby se recusou a deixar o lado de sua dona. Mesmo enquanto ela estava inconsciente, Ruby se manteve deitada na cama do hospital, se encostando contra ela, esperando que sua mãe pudesse sentir que ela estava lá e que sua presença a faria se sentir segura.

Durante a estadia no hospital, muitas pessoas pararam para conhecer Ruby. Ela sempre gosta de dizer ‘oi’ a todos – mas também garante que nunca esteja muito longe da mãe. Ela a ama tanto…

Sem Ruby, a vida de Darcy seria muito diferente. Ruby ajuda sua mãe a se manter saudável e segura todos os dias, e sua mãe é muito grata por tudo o que faz por ela.

“Eu não estaria viva sem ela”, disse Darcy.

Fonte: The Dodo

Compartilhe o post com seus amigos!

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários