Após perder a sua mãe para o câncer, jovem passa a levar seus nove cães em hospitais para visitar pessoas doentes

Por
em Notícias

Os animais foram fundamentais para ajudar a mãe da jovem durante o tratamento, mas depois que ela faleceu, os cachorros continuaram a sua missão, mas agora com outras pessoas.A partir de uma experiência pessoal dolorosa e sensível, a jovem Mackenzie Makatche que vive na Pensilvânia, EUA, criou um projeto lindo que conta com a participação dos seus cães, e que prevê o resgate da alegria e de bons sentimentos de pessoas enfermas.

Mackenzie e os seus nove cães da raça Terra Nova ajudam pacientes hospitalizados e pessoas em tratamento. Tudo começou quando Diedre, a mãe de Mackenzie, estava enfrentando um câncer de colón e, ao mesmo tempo, a família já tinha sete cachorrinhos que foram fundamentais para apoiar e animar Diedre durante o processo do câncer.

As duas resolveram compartilhar no Instagram a rotina entre Diedre e os cães, e mostrar toda a força que eles representavam durante o tratamento, o que acabou inspirando muitas pessoas. Mais tarde, elas adotaram mais 2 filhotes da mesma raça.

Apesar de todo o esforço durante o tratamento e o apoio dos nove cães, Diedre não resistiu e acabou falecendo. Mas foi a partir da experiência da sua mãe, que Mackenzie resolveu fundar a organização sem fins lucrativos Newf Crew, que se dedica a fornecer terapia canina em hospitais locais.

"Saber que as pessoas se importavam significava o mundo para minha mãe", disse a jovem, sobre todo o amor e apoio que recebeu através das mídias sociais antes e depois da morte de Diedre.

A organização é liderada por Mackenzie e seus 9 cães: Guinness, Murphy, Storm, Skyy, Aisling, Oliver, Belle, Duncan e Coeli. Três deles receberam o treinamento necessário para se tornarem cães de terapia.

"Se não fossem os cachorros, haveria tantos dias que eu ficaria na cama depois que minha mãe morresse", disse ela.

Parece que esses filhotes têm conseguido cumprir a missão de ajudar muitas pessoas a superarem momentos difíceis. Que orgulho dessa equipe!

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com