Caminhoneiros levam filhotes de cachorros a outras cidades para que eles sejam adotados durante quarentena

A dona não iria conseguir buscar sua cadela e os filhotes que estavam com a sua amiga por conta do fechamento das fronteiras, e é aí que os caminhoneiros entram na história.

A quarentena tem gerado correntes de solidariedade que se estendem por todo o mundo.

Victoria Craig que vive em St. Thomas, Ontário, no Canadá, estava de viagem marcada para o Nepal para realizar um trabalho humanitário e deixou a sua cadela Kilt da raça border collie, que estava grávida, com uma amiga em Hamburgo, NY.

No entanto, com a pandemia do coronavírus, a viagem foi cancelada, mas Victoria não conseguiria buscar Kilt porque a fronteira Canadá-EUA estava fechada.

Kilt acabou dando luz aos seus sete filhotes na casa da amiga de Victoria, e por mais difícil que fosse retornar para casa naquele momento, muitas pessoas acabaram ajudando.

Foto: Kim Russell
Foto: Kim Russell

A mulher contou com a ajuda de pessoas que ela nem conhecia, mas amigos de amigos acabaram unindo ela ao caminhoneiro Erik MacDonald, da Nova Escócia, que fez a gentileza de levar Kilt até a sua casa em St. Thomas.

Apesar de Kilt já ter o seu destino certo, alguns dos filhotes também tinham casas esperando por eles no Canadá, então Victoria e sua amiga Kim Russell que estava em Nova York com os filhotes, procuraram outros motoristas de caminhão que poderiam carregar uma carga extra.

Foto: Kim Russell
Foto: Kim Russell

Um dos filhotes conseguiu viajar a destino de sua nova casa, graças a ajuda de James Young, que buscou o filhote que estava com a amiga de Victoria, Kim.

“Ele manteve o filhote, agora chamado Next, em seu equipamento para a jornada de 13 horas. Ele enviou fotos e atualizações pelo caminho e tenho certeza de que ele gostou muito da empresa”, disse Kim.

Foto: Kim Russell
Foto: Kim Russell

Um outro motorista conseguiu levar os três filhotes para o Canadá através da fronteira em 25 de abril, enquanto fazia uma viagem por Buffalo até Ontário.

Os filhotes restantes na ninhada foram adotados por seus novos donos nos Estados Unidos, que puderam ir pessoalmente buscá-los.

Quanta solidariedade para ajudar esses doces filhotes a chegarem em seus novos lares, fica o exemplo de como uma corrente do bem pode se espalhar!

Ana Caroline Haubert

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo.
Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários