Com apenas 17 anos, jovem cria instituto para acolher animais abandonados em Anápolis, Goiás

Orgulho em ver a iniciativa do jovem que tem ajudado tantos animais a terem uma vida digna e confortável.

Gente, olha que história especial! A generosidade do jovem Eduardo Caiado, 17, em ajudar animais sem-teto e feridos, deu a ele o impulso para criar um ambiente para abrigá-los, mas não como um abrigo qualquer, mas sim, como uma espécie de creche recreativa, onde eles pudessem andar soltos e se entreter de maneiras divertidas. O local se chama Instituto EduPaçoca e fica em Anápolis (GO), onde o jovem reside.

Foto: Instagram / megaedu1
Foto: Instagram / megaedu1

Apesar da pouca idade, o jovem tem o hábito de ajudar animais em situações difíceis desde os nove anos, e o desejo em ajudá-los só se fortaleceu com o tempo. Hoje, ele conta com o apoio de patrocinadores e empresários locais para manter o instituto que abriga, atualmente, 22 cães e quatro gatos.

Em uma cidade com mais 400 mil habitantes, o instituto fundado por Eduardo é o primeiro abrigo recreativo de Anápolis. Segundo o jovem, a iniciativa de fundar o instituto se deu principalmente por não haver políticas públicas voltada para os animais em sua região.“Quero transformar o Instituto em algo muito mais do que um ‘depósito’ de cães. No formato de creche recreativa, quero torná-los felizes e saudáveis ​​para que possam ser adotadas mais tarde. Não quero um depósito para cães, mas uma casa. Quero que eles saibam que, mesmo que não sejam adotados, ficarão comigo até envelhecerem e morrerem”, afirmou Eduardo.

Foto: Instagram / megaedu1
Foto: Instagram / megaedu1

Embora encontre dificuldades, Eduardo mantém o foco no objetivo de ajudar essas vidas. “Eu vou lá todos os dias. Às vezes vou de carona, às vezes ando de bicicleta pelo trajeto de 30 km, mas nunca reclamo porque sempre foi o que sonhei”, conta.

Foto: Instagram / megaedu1
Foto: Instagram / megaedu1

Eduardo fala sobre a exclusividade do ambiente e os seus moradores que são muito especiais. “Eu tive a ideia de criar um lugar diferente. Um berçário com cores, brinquedos, recreação, atividades, música, dança, festas temáticas e aniversários. Há um cachorro chamado Baiano que sempre traz presentes para mim: uma garrafa, uma tigela ou uma folha”, relata.

Foto: Instagram / megaedu1
Foto: Instagram / megaedu1

Mesmo com o instituto ativo, o jovem explica que ainda não dá conta de resgatar todos os animais que ele encontra pela falta de espaço e que lamenta, quando precisa deixar algum cachorro para trás. “O plano do Instituto é expandir o máximo possível. Assim podemos resgatar mais cães idosos e aqueles que não são tão aceitos na sociedade. O objetivo final é encontrar famílias para eles, mas até esse ponto chegar, quero fazê-los se sentir em casa. Não quero tratar apenas suas feridas físicas, mas sim suas almas feridas, seus traumas emocionais…”

Que atitude nobre, né? Tomara que o Instituto EduPaçoca cresça cada vez mais e possa cumprir o objetivo de ajudar o maior número possível de animais. Fica o exemplo! Se você quiser contribuir com a causa acesse https://voaa.me/instituto-edu.

Foto: Instagram / megaedu1
Foto: Instagram / megaedu1

“Eu tento fazer deste mundo um lugar melhor. E eu sei que o milagre que as pessoas pedem a Deus está na ação que é feita diariamente, seja alimentando um cão de rua ou ajudando uma pessoa idosa escrevendo algumas cartas”, conclui.

Parabéns pela garra e linda trajetória que tem construído, Edu!

Ana Caroline Haubert

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários